fbpx
Xbox Game Pass Ultimate: Inscreva-se por R$1

O site Windows Central realizou uma entrevista com o Diretor de Gerência de Programas do Xbox, Mike Ybarra. Na posição que está, Ybarra tem o dever de liderar a equipe responsável por criar as experiências corretas para usuários e desenvolvedores da plataforma Xbox, entregando novas tecnologias para o console e dispositivos com Windows 10. Então ele é a pessoa certa para se discutir assuntos referentes a novidades que estão para chegar ao sistema.

Veja os trechos mais interessantes da entrevista:

Windows Central: “Eu passei o ano anterior ao anúncio da retrocompatibilidade explicando para amigos e família o porquê do Xbox One não conseguir rodar jogos do Xbox 360, e então vocês anunciaram a retrocompatibilidade apesar da crença que isso era impossível. Eu tenho a impressão que a equipe do Xbox gosta de desafios, vocês tem mais outro plano desse mesmo calibre?

Mike Ybarra: “Eu diria que você está correto – quando nós originalmente lançamos o Xbox One a ideia era de que retrocompatibilidade era algo que não acreditávamos ser possível. Nós tivemos a sorte de ter o conjunto certo de engenheiros. Para o crédito de Phil Spencer, ele impulsionou a equipe. Ele sabe que todo engenheiro ama ser desafiado com algo que alguém diz ser impossível, e então os mandaram fazer acontecer. Quando nós abrimos nossa página de feedback, retrocompatibilidade era a requisição número um por uma grande diferença e foi algo que não quisemos apenas ignorar. Nós aceitamos o desafio; nós resolvemos um bocado de problemas de engenharia que existia, e francamente nos surpreendemos conosco mesmo.

Eu diria que você está correto, e eu não posso entrar em detalhes, mas nossa filosofia e modo de agir é ‘ou tudo ou nada’ quando estamos tentando criar tecnologias disruptivas que atendem às necessidades que nossos usuários nos pedem. É algo que nossa equipe de engenharia da plataforma mantém como alta prioridade em termos do que queremos conquistar para os nossos fãs, e para nós mesmos seguirmos em frente. Existem mais 2 ou 3 grandes itens que eu colocaria no mesmo calibre e que estamos de olho agora, e você sabe, temos esperança, de que eles se tornarão realidade e vocês ouçam mais sobre eles daqui a uns 12 meses contando de hoje.”

Duas ou três novidades no mesmo patamar da retrocompatibilidade! Se apenas uma dessas novas funcionalidades for anunciada na E3 2016, juntos dos próximos exclusivos, já será o suficiente para fazer os fãs irem a loucura mais uma vez. Além disso, também foi conversado um pouco sobre a nova experiência do Xbox One, a chegada do DirectX12 e a frequência com que jogos seriam adicionados à retrocompatibilidade.

Sobre a retrocompatibilidade, e a frequência de jogos adicionados a ela:

Windows Central: “Então, o quanto vocês estão planejando impulsionar a retrocompatibilidade? Nós iremos receber aproximadamente 100 títulos no lançamento, você tem ideia de com que frequência mais jogos irão entrar? Nós poderemos chegar a ver toda a biblioteca do Xbox 360 no Xbox One?”

Mike Ybarra: “Nós certamente queremos ter uma frequência constante para atualizarmos nossos títulos do Xbox 360. Nosso maior obstáculo é trabalhar com as distribuidoras [de jogos]e conseguir sua aprovação para seus títulos mais antigos. Nós continuamos trabalhando com isso no momento, eu diria que irá variar de acordo com a resposta das distribuidoras. Algumas são tipo ‘sim, vamos lá, rock n’ roll’ e outras são um pouco mais pensativas sobre como eles querem agir com isso. É difícil para nós prometermos, eu irei apenas inventar algo, 20 títulos por mês de agora em diante, porque realmente depende da distribuidora nos permitir liberar seus títulos. Certamente nós queremos liberar um conjunto de títulos na frequência que os nossos clientes nos pedem, de modo que possa gerar valor para eles.”

Sobre a chegada do DirectX12, ele é bem pé no chão:

Windows Central: “Eu ainda vejo comentários em mídias sociais e artigos que debatem os efeitos que o DX12 acarretará no Xbox One. Dado que ainda parece haver confusão sobre os benefícios potenciais que o DX12 trará, você pode explicar o que isto irá ou não fazer pelo Xbox One?”

Mike Ybarra: “Qualquer capacidade gráfica que adicionarmos no Windows irá ajudar os desenvolvedores, isso apenas depende do tipo de jogo que você está criando. Com o Xbox One, nós pegamos o DX11 e adicionamos várias extensões em cima para que os desenvolvedores pudessem tirar o máximo de performance daquele hardware fixo. Desde o lançamento e, francamente, a cada vez que atualizamos o XDK mais benefícios surgirão. Do lado do Windows, DX12 está fazendo várias dessas mesmas coisas para hardwares genéricos. Possibilitando os desenvolvedores a alcançar níveis visuais mais altos ou melhores efeitos em seus jogos. Então, um bocado de benefícios já estão hoje no Xbox One, nós esperamos alguns benefícios extras, mas realmente depende do desenvolvedor do jogo trabalhar nisso e perceber os benefícios que isso pode ou não trazer, dependendo de como os títulos utilizam essas chamadas [feitas pelo DX12]. Ninguém deve esperar que o DX12 tenha um impacto tão dramático.”

Para mais notícias e curiosidades acerca do Xbox, fique ligado ao Xbox Power!

Fonte: Windows Central.

Compartilhar.

About Author

Gamer desde criança, na época em que possuía um Master System III. Adoro jogos com uma história que te faz pensar após a diversão, como Bioshock, Alan Wake e Halo.

Powered by keepvid themefull earn money