Quando foi anunciado, For Honor surpreendeu com a proposta de um multiplayer divertido e lutas frenéticas, colocando os jogadores em verdadeiros campos de batalha, repletos de inimigos e outros desafios, tudo com uma mecânica de combate bastante singular. O jogo tem três facções que se dividem em Cavaleiros, Samurais e Vikings.

Eu sou apaixonada pelas histórias medievais e suas guerras sangrentas, então desde o anúncio de For Honor eu já fiquei curiosa em relação à ele e desde a fase beta eu já esperava ansiosa pelo jogo completo.

História

Inicialmente, For Honor iria contar apenas com o modo multiplayer, mas os desenvolvedores resolveram inserir uma campanha para explicar um pouco das motivações das três facções do jogo. Então não pensem que irão encontrar algo muito profundo, pois como acontece na maioria dos jogos com foco no online, o modo história serve apenas para dar um contexto para a ação dos modos multiplayer.

A história de For Honor serve mais como um grande tutorial para o que os jogadores enfrentarão no modo multiplayer. O jogo apresenta três capítulos dedicados a mostrar a narrativas dos Cavaleiros, Vikings e Samurais que estão tentando se reerguer depois que uma série de catástrofes naturais assolaram a Terra. Quando tudo parecia estar tomando um rumo, somos apresentados a Apollyon, que é a grande vilã do jogo. Ela quer realizar uma espécie de seleção entre aqueles que sobreviveram. Ela quer fazer isso através da guerra, com a eliminação dos mais fracos.

Apesar de raso e sem muitas explicações mais profundas, a progressão do modo história até que funciona bem e prende o jogador, pois a narrativa é criada para que haja interesse no que virá a seguir e nas reações dos personagens de cada facção. O gameplay é que ficou um tanto quanto repetitivo, pois se trata sempre apenas de matar uma série de minions e um inimigo mais forte no final, com apenas algumas poucas atividades diferenciadas em algumas missões.

Durante a história você também irá ganhar experiência e subir de level, ganhando atributos e habilidades para melhorar seu personagem. Essa progressão não pode ser transferida para o multiplayer. Como dito acima, a campanha de For Honor serve como um grande tutorial que fará com que você se familiarize com as mecânicas do jogo e conheça um pouco das classes disponíveis para se preparar para o modo multiplayer, que é o grande foco de toda a experiência.

Jogabilidade

For Honor apresenta um sistema inovador de combate onde temos controle total dos personagens e é projetado para oferecer a sensação de um duelo verdadeiro. A Ubisoft criou um sistema de captura de movimentos baseado nos movimentos de artistas marciais de verdade e dublês profissionais para dar uma sensação de ação mais realista.

O que presenciamos na prática é um sistema de luta divertido e com uma carga estratégica e tática bem interessante. Em For Honor os jogadores que atacam sem nenhuma estratégica serão punidos e eliminados por aqueles que usam o sistema de bloqueio em três posições diferentes (para cima, para a esquerda e para a direita) e a esquiva do jogo com inteligência. Não basta apenas atacar, mas ficar ligado a cada movimento do oponente antes de atacá-lo ou se defender dos seus golpes. Os ataques também variam entre ataques leves e pesados, além de combos variados característicos de cada classe.

Antecipar e reagir aos movimentos de seus oponentes em uma situação de combate em tempo real é praticamente inédito, o jogo obriga o jogador a atacar e se defender na direção correta, o que aumenta a complexidade e agrada em cheio aos jogadores que curtem um combate mais estratégico. Isso é algo que restringe um pouco o público do jogo, pois muitos jogadores podem não curtir ou não se adaptarem ao estilo de jogabilidade. For Honor é um jogo de luta, mas com um combate que pode afugentar os jogadores mais acostumados a atacarem de qualquer maneira.

O sistema de combate é realmente divertido e mostra que a equipe de desenvolvimento realmente se esmerou em proporcionar uma jogabilidade distinta e totalmente diferente do que temos hoje no mercado.

Gráficos e Som

Os gráficos estão muito bons e as animações estão fluidas e no geral o jogo apresenta um bom desempenho. A qualidade gráfica de For Honor é impressionante, com um nível absurdo de detalhes em todos os ambientes e nos personagens, sem dúvida é o jogo mais bonito da Ubisoft, até o momento. Cada personagem possui uma caracterização própria que traz toda cultura da sua facção. A animação dos personagens também está bastante natural, o que coopera para aumentar a imersão no jogo.

O jogo está totalmente localizado no nosso idioma, tanto com os menus quanto os diálogos em português. A dublagem está muito bem feita e as vozes combinam perfeitamente com os personagens dando o tom certo de emoção para cada fala.

Modo Multiplayer

Esse é, sem dúvida, o grande foco de For Honor, que foi, inclusive projetado inicialmente apenas para ser multiplayer, sem uma campanha. O modo é muito bem desenvolvido com modos de jogo diferenciados e com uma progressão de personagem bem interessante.

As classes

Escolha entre os destemidos CavaleirosVikings violentos ou os mortais Samurais. Cada Facção está representada por quatro classes diferentes, cada uma delas com suas características de combate únicas, que se ajusta a cada tipo de jogador. Cada um tem habilidades distintas e usa diferentes armas de luta corpo a corpo. Os 12 personagens não estão desbloqueados, você precisa ganhar moedas do jogo para comprar esses heróis, algo que garante uma boa longevidade ao título.

Os equipamentos também podem ser melhorados e cada classe possui seu conjunto específico de armaduras e armas. Quanto melhor seu equipamento, mais probabilidade de sucesso nas partidas, pois eles melhoram seus atributos. Essas melhorias podem ser ganhas ao final de cada partida ou compradas abrindo espécies de caixas com equipamentos, que você pode comprar com o dinheiro do jogo. Esse dinheiro também é necessário para desbloquear as classes. Também é possível comprar essa moeda do jogo com dinheiro real e abrir mais caixas e desbloquear itens cosméticos.

As habilidades podem ser melhoradas apenas com seu desempenho dentro de combate, pois quanto mais experiência você ganha, mais leveis ganha com sua classe e mais habilidades fortes você desbloqueia para poder usar na partida. É necessário jogar com cada classe para aprimorá-la, pois cada progressão é distinta e separada.

A personalização de personagem também é algo muito bem realizado em For Honor. Essa customização não foca apenas na parte estética, mas também em melhorias nas habilidades do seu personagem, fazendo com que ele se molde ao estilo de cada jogador.

Modos de Jogo

Até o momento, For Honor possui cinco modos diferentes. Podem parecer poucas opções, mas o combate dentro de cada um deles é bastante divertido e os modos variam bastante em relação aos objetivos de cada um.
Confira cada um deles:

  • Domínio – Os jogadores tentam capturar três pontos em um campo de batalha. O foco no combate corpo-a-corpo faz com o jogo pareça mais diferenciado do que o famoso modo Conquista dos jogos de tiro. Também existem mobs controlados por IA no meio do mapa que devem ser eliminados para ganhar a área e também para ganhar pontos de renome para subir de level, como acontece no sistema dos jogos do tipo MOBA (SMITE, LoL, DOTA). A partida se aproxima do fim quando uma equipe alcança 1.000 pontos, pois então desabilita o respawning para a outra equipe que será derrotada permanentemente quando todos os seus heróis forem eliminados. São nesses momentos finais que a jogabilidade de For Honor ganha todo o destaque no campo de batalha.
  • Duelo – Esse é modo onde você pode desafiar outro jogador e testar suas habilidades sem ter que se preocupar com pontos de controle. É uma melhor de cinco disputas para decidir qual o melhor combatente.
  • Briga – Uma disputa acirrada entre duplas, que pode ser interessante se jogada com um amigo ou frustrante se for jogar com um jogador aleatório, pois a estratégia faz muita diferença nesse modo.
  • Batalha – Combates de 4v4 onde o objetivo é somar pontos matando inimigos dentro do tempo limite da partida.
  • Eliminação – Outro modo 4v4 onde o objetivo é eliminar por completo o time inimigo e ser o último sobrevivente. Não há segunda chance e o jogador que sobreviver no campo de batalha vence a rodada para sua equipe.

A Guerra de Facções

Ao entrar em For Honor você terá que jurar sua lealdade a uma das três facções do jogo: Cavaleiros, Vikings ou Samurais. Todos os seus esforços serão revertidos para colocar a sua Facção na liderança do placar global de líderes. Ao final da temporada, apenas uma facção estará no controle da maior parte do mapa e os jogadores que juraram lealdade à ela irão ganhar recompensas exclusivas.

No fim de todas as partidas multiplayer, você receberá um número determinado de Recursos de Guerra, de acordo com o seu desempenho, eles servem para atacar territórios inimigos ou defender sua facção no Mapa-mundial.

O que é estranho sobre esse evento é que você pode se aliar com uma facção, mas você não precisa ter que jogar com as classes dela, não acontece uma restrição. Isso é bom para quem quer testar todas as possibilidades do multiplayer, mas também tira a lógica da Guerra de Facções. A existência da restrição de jogar apenas com as classes da facção escolhida, seria importante para mostrar uma distribuição mais justa do poder neste tipo de evento.

Desequilíbrios e problemas nos servidores

Mas nem tudo são flores no multiplayer do For Honor. Minha primeira ressalva vai para o desbalanceamento das classes, existem classes que são muito mais fortes que as outras, e que já entram no combate em vantagem. Outro desbalanceamento que existe é em relação ao nível dos jogadores. Muitas vezes entramos em partidas onde batemos de frente com personagens mais avançados, o que torna praticamente impossível o seu sucesso sobre ele. Deveria existir um sistema de nivelamento para que as partidas ficassem mais justas.

Eu demorei um pouco para liberar a análise pois procurei testar ao máximo os servidores e ver se os problemas de conexão iriam persistir ou não. Infelizmente eles não cessaram. A escolha da Ubisoft em usar servidores peer-to-peer (P2P) foi muito ruim, pois traz muitos problemas de conexão. Isso acontece, pois, esse tipo de servidor escolhe um dos jogadores para ser o host da partida e os outros jogadores se conectam a esse jogador, então caso ele saia é necessária a migração do host que causa uma espécie de pausa na partida. Não dá para entender o motivo pelo qual não foram usados servidores dedicados, com máquinas exclusivas para as partidas online, já que o grande foco do jogo é o online.

Infelizmente, o jogo sofre com constantes problemas de conexão, quedas frequentes das partidas, além de demora para achar salas, resultando na substituição por bots nas equipes que ficaram sem jogadores reais. Torço muito para que a Ubisoft já esteja trabalhando em maneiras de melhorar a situação dos servidores de For Honor.

Opinião

For Honor impressiona pelo seu sistema de combate inovador e uma boa jogabilidade, além de trazer uma experiência realmente nova para os jogos. Mostra que a Ubisoft acertou em cheio ao escolher se aventurar e inovar no gênero de combate livre, trazendo uma opção diferenciada para quem curte jogo de luta e estratégia de batalha.

Precisa melhorar com urgência o desempenho dos seus servidores que permanecem um tanto quanto frustrantes e mostrar que tem muito conteúdo para prender os jogadores por mais temporadas.

No geral é uma boa opção para quem quer mergulhar de cabeça no mundo medieval e arrancar algumas cabeças no meio do caminho, usando e abusando do sistema de combate inteligente e tático do jogo.

Entenda nossas notas

Clique e confira na Xbox Store

Compartilhar.

About Author

Administradora de Empresas, mas apaixonada pelo mundo dos games e pelo Xbox! Fã da incrível e complexa franquia Halo e de seu icônico líder, o Master Chief. Também apaixonada por Dragon Age e seu universo magnífico. Sempre ligada nas notícias e novidades do lado verde da força!

Powered by keepvid themefull earn money