fbpx
Promoção Xbox Super Game Sale 2019 – Xbox One

The Council é um walking simulator da Big Bad Wolf. O jogo promete trazer uma nova dinâmica ao gênero que tem se tornado cada vez mais popular no mundo dos games. Confira nossas impressões do primeiro episódio do jogo, The Mad Ones.

Um encontro extraordinário

Em The Council, o jogador controla o jovem Louis De Richet, membro de uma sociedade secreta intitulada The Golden Order. Sarah De Richet, um dos membros mais importantes da sociedade secreta e mãe de Louis, encontra-se desaparecida após uma visita a ilha de Lord Mortimer. Após uma premonição com sua Mãe, Louis precisa encontrá-la o mais rápido possível, antes que o pior aconteça.

Um encontro pra lá de estrelado

Este cenário serve de pontapé inicial para o intrigante mundo de The CouncilLouis precisará visitar a propriedade de Lord Mortimer e infiltrar-se entre seus convidados. Para minha surpresa, entre os convidados estão figuras histórias como George Washington e Napoleão Bonaparte. Confesso que me senti um jogo da franquia Assassin’s Creed, onde diálogos com personagens históricos são bem comuns.

Uma mistura de investigação com elementos de RPG

Desde o sucesso de The Walking Dead, da Telltale, uma enxurrada de games do mesmo gênero surgiu no mercado. Em geral todos muitos parecidos, mudando apenas a temática, gráficos, interação com o ambiente etc. Mas The Council promete mudar um pouco as cosias. O jogo é o primeiro a colocar elementos de RPG neste gênero de jogo.

Escolha sua classe

No início da aventura, o jogador deve escolher o tipo de investigador que Louis é. São três vertentes com habilidades distintas – Logic, Occult e Politics. Cada uma com suas vantagens e desvantagens que irão influenciar a forma sua aventura irá decorrer. Escolha Politics e Louis conseguirá persuadir os outros com facilidade, em compensação não conseguirá resolver enigmas (Logic) ou decifrar um hieroglifo (occult).

É uma sacada bem interessante da Big Bad Wolf, que aumenta consideravelmente o fator replay do jogo.

Gameplay

Como a maioria dos Walking Simulators, os comandos são limitados a interação com o cenário e personagens. O diferencial, como mencionado anteriormente, fica por conta dos elementos de RPG.

Cada árvore possui habilidades distintas

Resolver enigmas, vencer discussões e achar itens escondidos rendem pontos de experiência. Ao subir de nível, Louis poderá gastar seus pontos em novas habilidades. Apesar de escolher inicialmente uma vertente, não significa que o jogador não possa usar pontos nas habilidades de outras vertentes. No entanto, as habilidades de outras vertentes custam mais pontos de experiência. Assim o jogador pode optar por um Louis especialista em uma vertente, ou um Louis mais generalista.

Gráficos e áudio

A parte gráfica de The Council é muito boa. Cenários bonitos e personagens bem caricatos dão uma identidade própria ao jogo. A parte sonora não fica atrás. The Council reúne personagens de várias nações diferentes, cada um com seu sotaques únicos interpretados de forma primorosa.

O jogador fará escolhas que podem mudar o destino de alguns personagens

Infelizmente o jogo sofre de alguns problemas que acabam tirando o brilho do jogo. Quedas na taxa de quadros e alguns problemas de sincronia labial são frequentes.

Infelizmente, The Council não está localizado em nosso idioma.

Opinião

The Council conseguir causar uma ótima impressão em seu primeiro episódio. Com uma história intrigante e personagens bem construídos, já estou ansioso pelo lançamento do segundo episódio. Mas o destaque fica para a adição de elementos de RPG, que pode acabar criando uma nova tendência no gênero Walking Simulator.

Infelizmente, o jogo sofre com alguns problemas de performance que tiram seu brilho. O fato de nem ao menos possuir legendas em pt-br, em um jogo onde entender os diálogos é essencial, é algo inadmissível.

Entenda nossas notas

Clique e confira na Microsoft Store
Compartilhar.

About Author

Aficionado pela cultura geek. Se o cinema é a sétima arte, os games são a oitava. Entrou no mundo dos consoles no NES e desde então vem acompanhando a geração dos games até o Xbox One. Caçador de indies, nas horas vagas tenta ser biólogo.

Powered by keepvid themefull earn money