fbpx

Durante a CCXP 2018, nossa equipe foi convidada para participar de um painel da Electronic Arts e BioWare sobre Anthem, e também para entrevistar o produtor do jogo, Scylla Costa. O brasileiro compartilhou diversas novidades sobre o mais novo e ambicioso título do estúdio, e deixa claro que estão oferecendo algo único para os jogadores.

Confira nossa entrevista completa:

Xbox Power – Anthem propõe algo bem diferente, com um mundo totalmente online, mas com uma forte narrativa em conjunto. Qual é a proposta da BioWare para trazer o jogador para dentro do seu jogo.

Scylla CostaPrimeiramente, eu gostaria de dizer que eu também estou muito feliz de estar aqui, como brasileiro, poder vir ao Brasil, voltar ao Brasil, para representar a empresa que eu trabalho. É uma felicidade extrema para mim, poder estar conversando aqui com você e os outros jornalistas sobre o Anthem, algo que é fantástico e uma oportunidade única.

Do ponto de vista do Anthem, a gente queria trazer essa narrativa e mostrar pela primeira vez a fundo o que estamos preparando para essa parte do jogo, e explicar um pouco da mitologia, do folclore e da história do Anthem, e o que que aconteceu no seu passado. No vídeo (abaixo) que mostramos, a gente tinha os deuses que criaram o mundo e o deixaram inacabado, deixaram as relíquias (Shaper relics), que são as ferramentas que eles utilizaram para criar o mundo, onde também existe essa força mística chamada Hino da Criação (Anthem of Creation), que ninguém sabe exatamente o que é, ou o que gerou esse Hino, mas sabe que é uma força que gera muito caos, que faz muitas modificações no mundo de forma perigosa, algo muito poderoso que pode até mesmo alterar criaturas. Então os humanos, para sobreviver, precisam achar uma forma de pesquisar mais sobre essas relíquias, através dos cientistas ou Arcanistas, que viajam pelo mundo pesquisando sobre isso. E os jogadores, como parte da Facção Freelancer, tem como um dos objetivos garantir e ajudar esses Arcanistas a realizarem as suas pesquisas. Além disso, você precisa dar segurança para toda a sua população, a defendendo de outros inimigos. Inclusive, o principal antagonista do jogo, que é o The Monitor (O Regente), que faz parte da facção chamada Dominion, que ficam nas montanhas do norte, e estão avançando. Eles são um tipo de civilização militarista, bastante imperialista e eles estão buscando conquistar e destruir todo o mundo na base da força. E os jogadores, como Freelancer, irão buscar defender a sua colônia, o Fort Tarsis, desse avanço do Dominion. 

Xbox Power – Anthem é um jogo da BioWare, e mesmo tenho foco no online, o público espera por histórias memoráveis. Qual a duração estimada do Modo Campanha, que é a narrativa principal a ser seguida?

Scylla Costa – O modo Campanha tem uma boa duração e isso não depende do modo que você joga, pois você pode jogar sozinho, com seus amigos ou amigos dos seus amigos. É um jogo que, desde o começo, desde que foi formulado, foi criado para ser um jogo co-op e multiplayer, mas se você quiser jogar sozinho também pode, só mudar o filtro do matchmaking para privado. Do ponto de vista do modo campanha, ele foi bem desenvolvido tem bastante conteúdo para os jogadores explorarem, mas acima de tudo para quem gosta das narrativas da BioWare, você tem vários personagens no Fort Tarsis que irão interagir com você e irão liberar, a medida que você vai conversando com eles, novas expedições e novas aventuras para você explorar com seus amigos. E dependendo dessas conversas que você tem com esses personagens, outras opções podem aparecer também. Um conceito importante que a gente quer divulgar é que em Anthem a gente tem um lema, do ponto de vista do time de desenvolvimento, que é ‘Nosso mundo, a minha história’, então quando você chega no Fort Tarsis você está na sua história, você toma as decisões, você participa das conversas e sua história evolui somente para você. Quando você sai em uma expedição, onde você pode jogar com outros jogadores, se ambos estiverem no mesmo ponto da história, essa narrativa avança simultaneamente, caso contrário, mesmo que exista diferença no ponto da história, ela só irá avançar para um, mas o outro jogador irá receber experiência, loot e equipamentos normalmente. Então independente do ponto da história que você esteja, você poderá jogar com os seus amigos.

Xbox Power –  Mass Effect Andromeda, que foi o último jogo da BioWare, teve muitos problemas. Mesmo sabendo que existem diversos times desenvolvimento dos jogos, o que mudou dentro do estúdio desde então para o Anthem, teve algum impacto nas decisões para o seu desenvolvimento?

Scylla Costa – Como estúdio, a BioWare sempre está atenta ao feedback da comunidade, dos nosso jogadores. Então, vocês podem reparar nos últimos vídeos que a gente lançou, que são todos in-engine, trazendo cenas reais de Anthem, e mostramos em destaque a parte das animações faciais. Pois depois de todo o feedback que recebemos de Andromeda, a gente aproveitou e melhorou a tecnologia, tudo com base naquele feedback positivo ou não, e atualizou tudo para ter certeza que a qualidade estaria top para o Anthem. 

E sinceramente, eu trabalhei em Mass Effect 2 e 3, Dragon Age Inquisition e no próprio Andromeda, por alguns meses, eu acho que de certa forma isso é algo interessante. Pois como nós fazemos esses personagens que os nossos jogadores podem se identificar, criar aquele relacionamento e um lado emotivo com o personagem, esse lado emotivo também vem a tona quando o jogo não sai da maneira como eles esperavam. E Eu acho que também é por isso que a recepção pode ser mais forte, mais passional, por conta desse relacionamento e expectativa que eles possuem com os jogos da BioWare.

Xbox Power –  Como se trata de um jogo online, é natural que ele receba muitos conteúdos após o lançamento para manter os jogadores engajados. Podemos esperar por extensos conteúdos na forma de expansões para o futuro de Anthem, mais classes, especializações…? E qual será a periodicidade desses novos conteúdos?

Scylla CostaNós temos a equipe da BioWare Austin, responsável pelo MMO Star Wars: The Old Republic, que estão nos auxiliando e liderando nesse live service, além de toda a equipe da BioWare Edmonton. Mas também teremos outras equipes trabalhando nisso. O lado positivo é que Austin está com o MMO do Star Wars, por uns 6 anos já, então eles possuem muita experiência em live service e estão muito acostumados com isso. E a gente tem as tecnologias suficientes dentro do jogo para poder gerar conteúdo de forma rápida, de acordo com o feedback que a gente for recebendo dos nossos jogadores, da nossa comunidade.

Existe todo um planejamento, e uma equipe de pessoas já trabalhando nesse momento, para o conteúdo que será lançado após o lançamento do jogo. Mais perto do lançamento, nós iremos divulgar o nosso roadmap para Anthem, mas posso adiantar que vai ter muita novidade e muita coisa legal que já está sendo trabalhada. Tudo sempre dando espaço para o feedback da comunidade, pois as vezes, por exemplo, tem um personagem que seja muito bem recebido pelo público, que roubou a cena, e os jogadores gostaram muito, por que não fazer mais conteúdos para ele? Então as vezes você faz um plano e o plano é só isso mesmo, um planejamento, e muito pode ser alterado pelo caminho para fazer sentido dentro do que está sendo observado.

Xbox Power – Um dos conteúdos mais aguardados pelos jogadores são as Raides ou Incursões, aquelas atividades mais difíceis para se fazer em grupo. Podemos esperar por algumas bem desafiadoras em Anthem? Vai ter matchmaking para essas atividades?

Scylla CostaExistirá esse tipo de atividades e já terá junto com o lançamento. Quando você terminar o “Modo Campanha”, pelo menos a parte principal da história, ainda existirão vários outros contratos e conversas com outros NPCs que te darão outras expedições. Em um determinado momento, o seu objetivo como jogador possa ser alcançar o level máximo do personagem, e quando conseguir, serão desbloqueados outros níveis de dificuldade, então você também poderá refazer o conteúdo, mas com níveis de dificuldade maiores e com melhores recompensas. 

Além disso, temos mais dois tipos de conteúdo separados que já existem exatamente para quando você chegar no chamado End Game. Existe os Strongholds, que são missões que devem ser feitas em grupo, você até pode fazer sozinho, mas é indicado para grupo, pois a chance de conseguir terminar sozinho é muito baixa. São missões bem difíceis e com longa duração, onde provavelmente você fará várias vezes até achar uma formação mais eficaz para a atividade, testando os loudouts. A outra atividade são os Contratos Lendários, que serão dados pelos agentes de tempos em tempos e trarão a oportunidade de criar uma arma ou equipamento extremamente único no jogo. E depois de fazer uma parte, vai querer fazer o set inteiro, então você sabe como é… (risos).

Para essas atividades você pode fazer matchmaking com jogadores aleatórios ou pode jogar com seus a amigos. Você pode fazer com desconhecidos, mas será algo que vai exigir uma certa coordenação para chegar no final.

Xbox Power – A EA passou por muitas polêmicas acerca do modelo de monetização dos seus jogos. O que foi feito para que em Anthem polêmicas não ocorram e atrapalhem a experiência dos jogadores?

Scylla Costa – Coincidentemente, não tivemos a ideia de colocar loot boxes em Anthem desde a sua concepção. Em Mass Effect 3, no multiplayer, a gente criou uma espécie de filosofia na BioWare, onde seja qual for a microtransação que a gente esteja fazendo, que seja algo que o jogador sinta que é justo. Então a gente sempre teve essa filosofia de ser justo com o jogador. E especificamente para o Anthem, nosso plano desde o começo, já foi nesse lado de personalização, de cosmético. Tipo, eu quero comprar aquele capacete, eu vou poder comprar exatamente ele, ou seja qual for o equipamento cosmético que você queira comprar. Então a gente sabia exatamente onde queria chegar, e já havia decidido que não teria loot boxes, independente de toda a controvérsia. O que foi bom, pois a gente pode sentir que nosso plano estava indo na direção certa, e então continuamos com o plano.

Xbox Power – Anthem teve alguma influência de Mass Effect, que também aposta na Ficção Científica? Podemos esperar por alguns easter eggs da franquia ou de outras em Anthem?

Scylla CostaQuando a BioWare vai fazer um novo jogo, nós tentamos olhar seis ou sete anos para frente no mercado, o que é bem difícil. Então quando a gente terminou o Mass Effect 3, foi quando a gente, na verdade, começou a discutir sobre Anthem, que ele seria, o que poderia ser. E se você olhar para trás, há cinco ou seis anos não existia Fortnite, não tinha PS4 ou Xbox One, não tinha muita coisa que existe hoje. Então precisamos projetar como que vai ser a comunidade, como que os jogadores irão consumir o jogo daqui a cinco ou seis anos.

Quando criamos o jogo do Anthem, a gente já possuia uma IP original do ponto de vista do sci-fi, que era o Mass Effect. E tinha o Dragon Age no ponto da Fantasia. E nossa ideia era criar uma nova IP que fosse o que a gente chama de Sci-Fantasy, que tem elementos de Ficção Científica, como o lado de você ter os exo suits que são construídos, mas tem também aquele lado da Fantasia do ponto de vista do Hino da Criação, com aquele lado mais misterioso, com essa força que você não sabe exatamente de onde veio… Então juntando os dois elementos, nós estamos criando esse novo mundo. Além disso, nosso jogo foi projetado desde o começo para ser um co-op, uma experiência que pudesse ser compartilhada com os amigos, e que ao mesmo tempo estivesse encontrando personagens interessantes e que permitissem ter aquele engajamento emocional com eles. 

E sobre easter eggs… Talvez! Não vou soltar nenhum spoiler, mas easter egs precisam ser encontrados. Então, quem sabe…

Xbox Power – Outra característica importante dos jogos da BioWare são os relacionamentos, os romances. Há algum tempo atrás vocês cogitaram que poderia ser inserido um sistema para isso em Anthem, por causa do pedido dos fãs. Essa ideia foi adiante ou é algo que ficou para o futuro?

Scylla CostaPara o lançamento do jogo não haverá romance entre os personagens, mas tudo depende do feedback que a gente receber dos jogadores. E se a gente sentir que é a direção que a comunidade quer, por que não?

Xbox Power – Sei que não tem nada a ver com Anthem, mas você trabalhou em um dos jogos da minha vida, que é o Dragon Age Inquisition. Muitos comentam comigo sobre o desejo do jogo receber otimização para o Xbox One X. Existe alguma chance disso acontecer?

Scylla Costa – A gente sempre tenta desenvolver nossos jogos de forma com que eles possam ser executados na melhor forma técnica possível, em qualquer plataforma. Sempre tentando extrair o máximo de cada uma delas. As vezes leva um pouco mais de tempo para a gente conseguir resolver alguns dos problemas técnicos, e assim conseguir fazer com que o jogo rode a uma determinada qualidade técnica. Então eu não posso prometer nada, não posso falar muito dessa área nesse momento, mas o que eu posso garantir para você é que, se você olhar para trás, a gente sempre está buscando oferecer em, nossos jogos a melhor qualidade possível.

Xbox Power – Para finalizar, você mesmo disse que está muito feliz em retornar ao Brasil e poder interagir de perto com a comunidade, então deixe o seu recado para os fãs brasileiros da BioWare, e o que eles podem esperar de Anthem em 2019.

Scylla CostaSim, eu estou muito feliz de estar no Brasil e poder sentir de perto os nossos jogadores. O recado que eu queria deixar para os fãs de Anthem é que eles deveriam se preparar para a Demo (link) que irá acontecer entre os dias 01 e 03 de fevereiro de 2019, que será aberto para todos. Aqueles que fizeram a pré-encomenda pode entrar nessa Demo uma semana antes, entre os dia 25 e 27 de janeiro de 2019.

Então eu diria para os fãs que Anthem é um jogo diferente, que é fácil de comparar com outros jogos, mas que ele é sim diferente. Você tem a oportunidade de dentro sua própria armadura voar, entrar e sair da água voando de maneira suave, e interagir com outras criaturas. Por isso, que eu quero muito que todos tenham a oportunidade de tentar a Demo, pois não se trata de um alpha ou beta, é uma parte real do jogo final, que chega no dia 22 de fevereiro, para todo mundo ter essa sensação de estar no meio de Anthem com uma armadura mais avançada, com algumas armas mais poderosas e ter esse gostinho de ser um Freelancer.

Anthem será lançado no dia 22 de fevereiro de 2019 e já pode ser pré-encomendado na Xbox Live. 

Clique e confira na Microsoft Store




Compartilhar.

About Author

Administradora de Empresas, mas apaixonada pelo mundo dos games e pelo Xbox!Fã da incrível e complexa franquia Halo e de seu icônico líder, o Master Chief. Também apaixonada por Dragon Age e seu universo magnífico. Ahhh e quem disse que Dark Souls não é divertido? :DSempre ligada nas notícias e novidades do lado verde da força!

Powered by keepvid themefull earn money