fbpx

Um dos jogos de luta mais esperados do ano enfim chegou ao Xbox One. Jump Force é a reunião tão sonhada dos fãs de animes e mangás. Imagine o seu personagem preferido saindo no braço com Goku, Naruto ou Luffy? O jogo tem uma das maiores galerias de personagens dos jogos de luta, com nomes de Naruto, Dragon Ball, One Piece, YU YU Hakusho, Cavaleiros do Zodíaco, Samurai X e outros mais.

Jump Force é distribuído pela Bandai Namco que vem dominando o cenário dos jogos de luta nos últimos anos, com grandes lançamentos como: Dragon Ball FighterZ, Soul Calibur VI e Tekken 7. Era de se esperar que Jump Force seguiria esses mesmos passos. Será que o game conseguiu honrar todo o legado da revista Weekly Shonen Jump que comemora seus 50 anos?

UMA HISTÓRIA DISPENSÁVEL

Jump Force possui uma história bem fraca em relação aos outros games que citei acima. Imagine algo bem genérico, que te da vontade sair pulando os diálogos de tão chato e repetitivo? Sei o quanto é difícil criar algo único com tantos personagens icônicos, mas mesmo a relação de personagens do mesmo mundo não é feito de uma forma correta. Diálogos entre Goku e Freeza por exemplo não transparece aquela rivalidade entre os dois personagens.

Voltando a premissa do game, temos a colisão dos mundos, com isso a Força Jump é criada para combater a ameaça Venom. O inimigo utiliza um cubo para poder dominar outros personagens, então é a sua missão descobrir quem é o inimigo misterioso. Para isso o jogador tem a ajuda de um robô que pode converter inimigos em aliados. Quem é dominado pelo cubo pode ser trazido de volta para a Força Jump. Ninguém está livre de ir para o lado do inimigo, então todos podem ser um rival em potencial.

O número de lutadores de Jump Force é impressionante.

Claro que toda essa história parece até divertir, mas isso não acontece. Com um grande número de cutscenes e diálogos rasos, o jogo perde o embalo ao colocar o modo história dentro de uma estrutura de MMO e não saber fazer corretamente. Poderiam ter usado o jeito que Dragon Ball FighterZ fez, trazendo um lobby para decidir em que modalidade o jogador quer jogar. Forçar o jogador a ficar andando pra lá e pra cá para continuar na história é um retrocesso. As vezes você não sabe com quem deve falar ou mesmo onde ir e isso destrói qualquer afeição do jogador pelo enredo.

PARA QUEM É FÃ

Jump Force é a reunião tão esperada dos Otakus de plantão. Os fãs de diversos animes e mangás vão enfim ver seus personagens preferidos em combate. Imagine ver seu golpe preferido sendo desferido contra seu amigo? O jogo pode te proporcionar isso. Temos ótimos personagens, que trazem uma bagagem imensa de muitos anos na cultura nipônica. Isso foi o ponto mais forte do game, afinal a caracterização e os golpes dos personagens estão bem fiéis.

O criação de personagens é bem ampla.

Algo que chama a atenção em Jump Force é a customização ampla de seu avatar, que é realmente usado no modo história. Algo que não foi feito em Dragon Ball FighterZ, por exemploÉ possível customizar seu personagem da cabeça aos pés, e criar o avatar dos sonhos para a luta

Ao completar missões opcionais e principais do modo história o jogador junta dinheiro e pode comprar golpes, itens de vestuário, itens de melhoria passiva. Entre outras coisas.

UM LOBBY CHEIO DE ATIVIDADES

Jump Force possui um lobby para fazer diversas coisas, algo que foi utilizado em Dragon Ball Xenoverse e em outros jogos da Bandai Namco. Quem está acostumado com MMO estará em casa, temos uma área ampla que mistura NPCS e outros jogadores para escolher o que querem fazer.

Escolha a melhor opção para a sua diversão.

Com seu Avatar você pode escolher as seguintes opções:

  • Missões: divididas entre principais, secundárias e de treinamento;
  • Lojas: aqui podemos comprar diversos melhoramentos para o nosso avatar;
  • Batalha local: lute contra a CPU ou contra um amigo em partidas locais;
  • Batalha Online: lute contra seus amigos ou desconhecidos nesse simples modo online;
  • Eventos: são eventos que acontecem de tempo em tempo para testar as habilidades do jogador. É necessário estar online para participar.

As missões tem níveis diferentes de dificuldade, e são facilmente escolhidas por um menu bem simples. Além de indicar qual level é necessário ou mesmo se vai jogar com um personagem em especifico. Ao vencer as partidas você ganha mais level, podendo escolher melhores lutas.

As batalhas online cumprem o papel em ser simples e eficazes, rapidamente o jogador já encontra uma partida. Assim como seu sistema de ranqueamento, que não te leva para uma partida contra um inimigo muito além de sua habilidade. Online ou Local, da para se divertir com simplicidade.

MODELAGEM DE PERSONAGEM MAL FEITA

A principio o jogo tem um design de personagens bem legal, principalmente nas batalhas, que acontecem bem rapidamente e não conseguimos perceber tantos detalhes na modelagem dos personagens. Mas ao jogar o Modo História fica evidente a falta de capricho na modelagem dos lutadores. Parece que você está jogando com aqueles bonecos comprados na feira, o que é algo que causa estranheza. Os personagens não tem uma expressão facial decente. Além disso, você está assistindo um dialogo antes da luta e não sabe para onde ele esta olhando, algo bem bizarro. Poderiam ter reduzido as cenas e colocado algo com mais qualidade. Esse aspecto fica mais evidente durante as cenas do modo história onde existem diálogos entre os personagens.

JOGABILIDADE CASUAL

Jump Force é um jogo de luta casual, entenda logo isso de cara. Se você é do tipo que curte combos, esquivas complexas e outros recursos mais profissionais, esse jogo não é para você, pois aqui temos algo mais simples e automático. Então o game não deverá agradar o público do e-Sports que precisa desse tipo de jogabilidade.

Mas a simplicidade pode trazer a diversão, temos poucos botões, então fica fácil decorar os golpes. Para cada botão: X,Y, A e B temos três golpes e um especial. Os três golpes podem ser liberados com a barra de KI que pode ser enchida com o botão ou ao executar golpes no adversário. Algo que é bem comum nos jogos de luta. O Especial é carregando com o passar da luta, a cada golpe desferido no adversário, o jogador vai enchendo a barra de especial. Podemos usar pouquíssimas vezes, e vai depender do desenrolar da luta, então use com sabedoria.

Prepare-se para derrubar seu oponente.

Além dos golpes, temos botões para trocar de personagem, defesa e esquiva. Nem precisa decorar os movimentos. Aperte o botão e já pode dar aquele golpe preferido do seu personagem. Então para vencer o jogador deverá administrar bem cada golpe e agir no tempo certo. Mesmo assim fica uma sensação de luta automática, que depende de sorte e tempo certo.

Jump Force oferece a opção de jogar com 3 personagens que compartilham o mesmo nível de saúde, não adianta trocar o lutador na partida para voltar com a saúde recarregada, aqui isso não funciona. Isso fura com algumas estratégias, mostrando que o game não leva essa parte mais profissional a sério.

SOM E GRÁFICOS

Os gráficos nas lutas são bonitos, com ótimos efeitos de iluminação e sombra. Mesmo com o combate acontecendo em velocidade o game não peca na parte técnica. Os cenários também são belos e que podem ser destruídos, o que traz uma sensação enorme de poder. As magias são um show a parte, com muitas cores e tamanhos, com animações que saltam os olhos dos jogadores e encantam a cada personagem escolhido.

O som é ok, com uma trilha sonora que cativa ao jogador. Mas nada que seja muito marcante. Não temos dublagem, acredito que teria um custo muito alto trazer tantos dubladores originais. Mas temos legendas em Português do Brasil, algo que ajuda a compreender a pouca história que o jogo tem.

OPINIÃO

Um título que foi muito mal aproveitado, mas que tem ótimas ideias. Com um modo história muito ruim, que não te faz querer continuar, e que traz um excesso de diálogos rasos que não agregam conteúdo a narrativa, fazendo o jogador perder o interesse rapidamente.

A quantidade enorme de personagens, e a fidelização dos golpes especiais enchem os olhos, e cada golpe desferido é um momento de nostalgia para o fã. Então nesse quesito o game se sai muito bem, e cumpre seu objetivo principal, mesmo que para isso sacrifique outros pontos.

O design de personagem é muito mal feito, com uma aparência que não condiz com o gameplay. Ao focar no personagem durante as cutscenes, conseguimos ver o quanto os modelos são bizarros. Em meio a essas cenas temos uma quantidade bizarras de loadings que deixa o game ainda mais arrastado.

Resumindo, o jogo vale mais para quem é muito fã de animes, dessa forma poderá achar algum tipo de diversão sem compromisso.

Entenda as nossas notas

Clique e confira na Microsoft Store

Compartilhar.

About Author

Desenvolvedor Web e Analista de TI, gamer assíduo desde a época do Atari, fã de Metal Gear(menos o Phantom Pain) e Gears of War. Ter a oportunidade de trabalhar um pouco com games é um sonho realizado. Falta só ir para E3!!!

Powered by keepvid themefull earn money