fbpx
Membros Gold e Ultimate tem Desconto Duplo - Economize até 60%
  1. Life is Strange sempre foi uma franquia que possuiu um roteiro interessante, eles misturam fatos e ideais que são tirados do mundo real, causando reflexão e questionamentos ao que acontece ao nosso redor e, as vezes, na nossa própria vida. Meu contato com o primeiro jogo foi pequeno, devido a ele ser muito parado e a trama não me chamar tanto a atenção. Algo que foi mudado no segundo jogo, pois já tivemos aquele inicio avassalador.

O final era muito esperado, afinal a trama foi pincelada já no primeiro episódio, onde os irmãos Diaz passaram pelo grande clímax de Life is Strange 2. Com altos e baixos, será que o último episódio conseguiu amarrar a história de maneira coerente? Vamos descobrir em nossa análise

UMA HISTÓRIA REAL

Uma das grandes qualidades do jogo foi abordar os problemas que acontecem atualmente no mundo, dentro da trama. Esse fator deixa qualquer decisão muito mais difícil, pois você se coloca no lugar do personagem o tempo todo, trazendo mais seriedade para cada momento.

Em Wolves, Sean e Diaz estão em uma comunidade remota junto de sua mãe, que teve uma grande importância no episódio passado. O local é um lar para pessoas que se sentem rejeitadas pelo mundo, ou mesmo se sentem deslocadas, o que logo faz com que os meninos se sintam em casa. A trama mostra o envolvimento com a mãe, fortalecendo essa parte, com algumas escolhas para se fazer, que definirão assuntos importantes.

Após resolver essa questão, os irmãos devem partir para o seu objetivo que é ir para Puerto Lobos, pois após os acontecimentos dos primeiros episódios, o objetivo dos irmãos passou a ser esse, que era o local onde o pai de ambos vivia. Após um episódio que, novamente, oscila entre altos e baixos, temos o término de Life is Strange 2, que possui sete finais que mudam bastante o destino dos irmãos e alguns personagens da história.

Na minha opinião o jogo falha no aspecto de contar mais sobre os poderes de Daniel, pois isso não fica bem contado, eles simplesmente ignoram essa parte e focam no destino dos irmãos. Dessa forma, tudo se resume a questão moral do crescimento de Daniel, a inspiração de Sean para o irmão mais novo, e como as suas atitudes moldaram o garoto, o que ele é hoje, e o que ele pode se tornar no futuro.

Então o clímax acaba que poderia ter sido melhor trabalhado, com uma vivência maior, não simplesmente indo diretamente para a cena final. A ligação com o primeiro Life is Strange, também é bem pequena, só servindo para o mostrar que o jogo está no mesmo universo.

Alem disso, chegamos ao final do jogo, após mais de 1 ano para se concluir a trama, com isso a imersão não foi tão grande, já que esse grande intervalo do lançamento de um episódio para o outro prejudicou um pouco o vincúlo com o jogador.

MUITOS PERSONAGENS, MAS POUCO EXPLORADOS

Uma coisa que a franquia faz de melhor é humanizar as pessoas, mostrando seus conflitos pessoais e seus medos. Eu realmente esperava mais desse quesito nesse episódio, por mais que o foco seja nos irmãos, poderiam ter explorado alguns personagens apresentados. Foram somente algumas cenas, que mostram só a ideia em volta daquele personagem ou núcleo. Trazer muitos temas sem ao menos dar vida a eles não é algo que fique tão empolgante. Talvez fosse mais coerente, abordar poucos temas, mas que eles tivessem recebido mais atenção.

Lembro que os primeiros episódios tratavam os coadjuvantes com mais carinho, mostrando mais camadas do personagem, trazendo ótimas surpresas e fazendo com que o jogador realmente se importasse com aquela pessoa.

SOM E GRÁFICOS

Os gráficos do episódio final receberam uma boa melhorada, suavizando as animações dos personagens. Em questão de iluminação temos um por do sol que é de babar. Os locais não são tão variados, mas cumprem o propósito da história que caminhou para um desfecho.

O design dos personagens mostra como eles mudaram com o tempo, inclusive no seu desfecho, onde podemos acompanhar muitas variações.

O som continua muito bom, com uma trilha sonora que embala bem em alguns momentos. Life is Strange 2 não possui dublagem em Português do Brasil, mas tem legendas que estão bem sincronizadas.

OPINIÃO

Life is Strange 2 se perdeu em uma ótima trama, que trouxe um impacto da vida real, como de praxe da franquia. Ficamos maravilhados e intrigados para saber mais dos poderes de Daniel, mas isso foi deixado de lado, para se concentrar em algo mais simples, fechando todas as possibilidades abordadas.

O sistema de lançamento em episódios prejudicou demais o jogo, comprometendo a imersão do jogador. Você acaba se esquecendo de alguns pontos, e as escolhas acabam não tendo o impacto que deveriam.

A quantidade de finais é muito boa, mas que se concentra em cutscenes, não trazendo a vontade do jogador de tentar buscar as ramificações, elas claramente são boas, mas que hoje em dia, qualquer um pode assistir depois pelo Youtube. Poderiam realmente ter alterado o gameplay, com localidades diferentes, isso sim traria mais dinâmica para o final.

Entenda nossas notas.

Clique e confira na Microsoft Store

Fizemos as analises dos quatro episódios anteriores, que podem ser conferidos nos links abaixo:

Compartilhar.

About Author

Desenvolvedor Web e Analista de TI, gamer assíduo desde a época do Atari, fã de Metal Gear(menos o Phantom Pain) e Gears of War. Ter a oportunidade de trabalhar um pouco com games é um sonho realizado. Falta só ir para E3!!!

Powered by keepvid themefull earn money