fbpx
Participe do nosso grupo no Telegram

Desenvolvido pela Palindrome Interactive, Immortal Realms: Vampire Wars entrou no programa Xbox Game Preview em fevereiro deste ano. O jogo de estratégia em turnos coloca você numa guerra entre vampiros e humanos, com o diferencial de que assumimos o papel das forças da escuridão. Ainda em desenvolvimento, Immortal Realms: Vampire Wars tem lançamento previsto ainda para 2020, porém sem data específica.

A Guerra dos Clãs

No fictício reino de Warmont, um clã vampírico reina soberano perante todos. Os puro sangue Vlad e Cecilia Dracul governam as terras de Bloodthrone com uma mão de ferro. Os humanos devem pagar uma taxa de sangue para que a paz seja mantida entre mortais e imortais. Exércitos com humanos e feras da floresta sedentas por sangues estão a sua disposição, para aniquilar todos que ameaçam seu reinado.

Prepare-se para uma história sangrenta

Um pouco mais a leste fica Mourterra, uma terra amaldiçoada sem humanos e com solo infértil. Ainda assim, o clã dos Nosfernus persistem neste lugar, aguardando a oportunidade perfeita para assolar a terra dos vivos novamente. Habitam fortalezas abandonadas e cemitérios, e são capazes de comandar exércitos de mortos-vivos.

Por último, mas não menos importante, Esain, ao norte de Warmont, está o clã dos Moroia. Vampiros que fazem uso de magia negra, que é tão importante quanto sangue para este clã místico.

O equilíbrio destes três poderes ancestrais está prestes a ser quebrado quando uma nova ameça surge, prometendo acabar com as forças da escuridão.

Immortal Realms: Vampire Wars coloca o jogador no controle de quatro senhores vampiros, onde você acompanha a história do ponto de vista de cada um dos clãs, como se juntasse peças de um quebra-cabeças para ter uma nova perspectiva. Lembrando clássicos do gênero, como Warcraft 3.

Gameplay

Immortal Realms: Vampire Wars aposta em um gênero não tão popular nos consoles: estratégia em turnos. A Palindrome Interactive ainda acrescenta alguns elementos interessantes, como a opção de cartas e árvore de habilidades para alguns personagens, mas sua essência é de um estratégia mais clássico. O jogo é puramente voltado para o singleplayer, com um modo campanha, um modo sandbox, onde os jogadores poderão modificar diversos aspectos antes das partidas contra IA e um modo skimish, levando os jogadores direto para batalha contra IA, sem elementos de história. A jogatina é dividade em dois momentos.

Hora da luta começar

Primeiramente, você move suas unidades por diversos cenários. Vilas, florestas, cavernas, bibliotecas e muitos outros tipos de terrenos. Em alguns deles é possível recrutar unidades, ganhar novas cartas, recuperar pontos de vida ou melhorar seus equipamentos. Cada ação que o jogador tomar custa um AP (ponto de ação). Por exemplo, uma unidade com 3 APs pode mover se por três terrenos. Precisa recuperar pontos de vida após uma batalha? Gaste 1 AP sugando o sangue dos moradores de um vilarejo. Aqui é possível fazer uso das cartas também. Usando pontos de sangue, você pode aumentar os pontos de ação de suas unidades, melhorar suas patentes, recrutar unidades, etc.

O segundo momento se dá quando suas tropas encontram unidades inimigas. O jogo muda para um tabuleiro menor, onde é preciso derrotar todas as unidades adversárias. É o momento mais tradicional de um jogo de estratégia em turnos. Por mais que suas unidades estejam em um nível mais elevado que as inimigas e que você possa usar magias, é preciso pensar bem na estratégia que será usada, bem como saber o raio de movimento e de ataque de cada uma da suas unidades e das unidades inimigas. Além de ter o cuidado de não deixar uma unidade sua ser cercada pelo inimigo. É como uma partida de xadrez bem mais interativa. Para quem curte, é uma ótima pedida.

Organizando suas unidades

Ainda há alguns elementos de RPG. Suas unidades ganham pontos de experiências ao ganhar batalhas. Enquanto as unidades comuns sobem de patente e melhoram seus status, os Lords Vampiros possuem uma árvore de habilidade própria para você distribuir pontos de experiência.

Gráfico e som

Visualmente, Immortal Realms: Vampire Wars não é bem um primor. Enquanto há algum capricho por parte dos senhores vampiros, o restante das unidades possuem uma apresentação um tanto quanto sofrível. Mas é preciso lembrar que é um trabalho em desenvolvimento, então pode melhorar até seu lançamento. Os cenários também são bem feitos, com aquele clima sombrio e gótico. Representando bem o clima vampiresco.

Vlad, ok! Já os demais…

Um ponto que incomodou bastante é a HUD do jogo. É um problema presente em quase todo jogo portado de PC para consoles. Afinal, é um jogo perfeito para mouse + teclado, e com o controle me senti perdido diversas vezes. Levou um tempo até me acostumar a ver qual unidade estava comandando, que ação estava realizando, e ainda assim me perdia. Tomara que melhorem este aspecto também.

A parte sonora é bem competente. Som de marcha de tropas, o aço das armas ressoando, os tambores de batalha. Tudo oferecendo um bom clima de guerra. A principio o jogo não se encontra localizado em nosso idioma e, a principio, não há planos para legendas em pt-br também.

Opinião

Immortal Realms: Vampire Wars é mais uma boa opção para quem curte jogos de estratégia em turno. Uma história interessante, além de batalhas extremamente táticas, com um pacote que traz a uma sensação de que o resultado pode ser promissor. O jogo ainda precisa que algumas arestas sejam aparadas, mas por ser um trabalho em desenvolvimento, vale a pena ficar de olho.

Vale lembrar que o jogo possui uma demonstração na Microsoft Store, caso você queria ter um gostinho da sua proposta.

Clique e confira na Microsoft Store

Compartilhar.

About Author

Aficionado pela cultura geek. Se o cinema é a sétima arte, os games são a oitava. Entrou no mundo dos consoles no NES e desde então vem acompanhando a geração dos games até o Xbox One. Caçador de indies, nas horas vagas tenta ser biólogo.

Powered by keepvid themefull earn money