fbpx
Membros Gold e Ultimate tem Desconto Duplo - Economize até 60%

Bless Unleashed surgiu como uma espécie de sucessor espiritual de Bless Online, um MMORPG lançado para PC em 2018, mas que teve seus servidores desligados menos de dois anos depois. Na ocasião, o jogo foi bombardeado por críticas negativas, principalmente por seus grandes problemas de desempenho, além de um modelo pay to win agressivo. Os desenvolvedores decidiram abandonar o projeto para refazê-lo totalmente com base nas críticas que receberam, e assim nasceu Bless Unleashed, mas dessa vez voltado para os consoles, chegando primeiro ao Xbox One.

O título, que segue o modelo free to play, foi refeito do zero, sendo elaborado totalmente para otimizar a experiência em consoles. Ele ganhou vida través de uma parceria entre a desenvolvedora Round 8 Studio com a Bandai Namco.

Depois do aprendizado com seu projeto anterior, será que os desenvolvedores conseguiram oferecer uma boa, e justa, opção de MMORPG para os jogadores? Confira em nossa análise.

História

Mesmo que existam alguns MMORPGs com histórias grandiosas e marcantes, como The Elder Scrolls Online e World of Warcraft, a maioria geralmente conta com uma história básica, que serve apenas para dar sentido para a exploração e progressão dos jogadores, não sendo necessariamente inesquecível. No entanto, é algo interessante para enriquecer o universo onde a trama se passa, para que ela seja, no mínimo, boa de acompanhar.

Em Bless Unleashed estamos vivendo no mundo de Lumios, onde a Ordem e o Caos estão em constante conflito. De um lado temos Physera, o deus da Ordem, e do outro lado da moeda temos Daimon, o deus do Caos, que foi derrotado após eras de batalha. No entanto, a guerra custou a morte de muitos deuses menores, fazendo com que Physera criasse uma lei proibindo um deus de matar outro novamente. Após um longo período de paz em Lumios, forças sombrias entraram em ação novamente sob o nome de Faceless, e assassinaram uma poderosa sacerdotisa, que liderava uma ilha pacífica. Mas sua destruição não parou nessa pequena ilha, e está se espalhando por todo o continente.

Como um dos sobreviventes desse ataque inicial, e portador de poderes especiais, entramos em ação para desvendar esse plano maligno e descobrir quem está por trás disso tudo. Parece incrível não é mesmo? Mas na prática a história se torna rapidamente esquecível e recheada de personagens insossos.

Você passa grande parte do tempo conversando com NPCs idênticos, o que já quebra muito da imersão. Serio, grande parte deles são clones descarados um dos outros. As missões são pouco interessantes, te levando a eliminar certos números de inimigos ou catar recursos triviais, o que não é diferente de muitos outros MMORPGs. O problema é que não acontece nada de muito épico ou grandioso, deixando a progressão desinteressante, pois as missões não acrescentam nada de muito importante para aquele universo ou seus personagens. Você só realiza essas atividades para pegar recompensas e adquirir a experiência necessária para subir de nível.

A quantidade de experiência ganha nas missões também é problemática, e mesmo que você realize tudo que aparece pelo mapa chegará em um ponto no qual isso não será o bastante, e para avançar na trama e, consequentemente, no jogo, você terá que, obrigatoriamente, ficar matando inimigos repetidamente nos mapas ou realizando encontros para eliminar chefões de mundo. O que também não é nada muito diferente de muitos MMORPGs. O problema é que o mundo do jogo não foi suficientemente interessante para me incentivar a fazer isso. Principalmente da forma extremamente lenta que isso acontece. No entanto, a loja do jogo está recheada de boosters de experiência, e é difícil pensar que essa maneira lenta de avançar no jogo não foi feita de forma proposital, para que o jogador se sinta incentivado a colocar dinheiro real para alcançar seus objetivos. Mas vou deixar para falar das microtransações mais adiante.

Outro problema na progressão de Bless Unleashed é que você está jogando com seus amigos e realizando a progressão juntos, mas existem pontos que te deixam em instâncias solo, mesmo que estejam no mesmo ponto da trama. Um sistema ruim e que não incentiva que os jogadores realizem a progressão juntos, já que em momentos chave o jogo coloca cada um por si.

Me baseando na minha experiência e de outros dois amigos que jogaram comigo, ninguém se sentiu animado em avançar além do level 20, o que é muito ruim para um jogo desse gênero, onde a alma está em oferecer algo divertido e interessante, de forma a prender os jogadores em seu universo por um longo tempo.

Criando seu personagem

Uma parte importante em qualquer RPG, e isso não é diferente em um MMO, é a criação do seu personagem, de forma a fazer o jogador se sentir parte daquele universo. Bless Unleashed possui diversas opções de customização, oferecendo uma boa quantidade de ferramentas para o jogador criar seu próprio herói. Não é nada muito robusto, que possibilite criações muito únicas, mas cumpre seu papel de forma decente.

Além da aparência física, podemos escolher dentre cinco classes diferentes aquela se encaixa melhor com o estilo de jogo. Seja o tank Crusader, o healer Priest, os tradicionais Mage para magias e o arqueiro Ranger, e por fim o guerreiro Berseker que toma conta das batalhas com seu estilo bestial. Mesmo que faltem classes clássicas como um Ladino, por exemplo, as opções disponíveis conseguem atender a maioria dos estilos, sejam os suportes, ou os DPS de longo alcance e combate corpo-a-corpo. Ficou na dúvida qual pegar? O jogo oferece um interessante tutorial onde podemos jogar com a classe no level máximo, mostrando todo o potencial dela.

No que diz respeito a escolha da raça, isso trará algumas limitações para a customização, pois existem situações como os gigantes Varg que só podem ser Berseker, além da classe também estar restrita a eles, ou como os fofinhos e pequeninos Ippin ficam restritos para as classes Priest e Crusader.

Jogabilidade

A alma do combate de Bless Unleashed está no seu sistema de combos, onde precisamos acertar uma sequência de botões que aparecem na tela. Quanto mais complexo o combo, maior poder de batalha seu personagem irá possuir, trazendo aquela sensação de rotação, que é algo bem típico dos MMORPGs. A jogabilidade com todos os personagens é bem lenta, pois segue um estilo mais tático, onde você deve pensar bem a hora certa de utilizar cada habilidade e cada golpe, além de gerenciar bem seus recursos, como mana, fúria ou flechas, para não ficar sem ter o que usar nas lutas. O problema com o combate é que ele é muito pouco responsivo e você não sente que está realmente no controle do seu personagem. Os efeitos das habilidades e o peso dos ataques é bom, mas não parecem acontecer no mesmo tempo que você libera a ação no controle. Muito da culpa disso é do alto lag que atinge os servidores. Bloquear ataques acabou se tornando mais uma questão de sorte do que habilidade, e um verdadeiro tormento.

A falta dessa resposta adequada deixa o jogo frustrante, já que em Bless Unleashed a sua vida não regenera fora de combate, e você só tem poções e o sistema de sentar na fogueira para se recuperar, então a precisão se torna algo essencial para a diversão dos jogadores, mas infelizmente não é isso que vi durante minha experiência.

Além disso, existem algumas habilidades especiais que são desbloqueadas nas chamadas Blessings, que são espécies de árvores de habilidades para os personagens. Elas são desbloqueadas ao finalizar determinadas séries de missões e expandem bem suas opções.

O jogo ainda possui um sistema bem interessante de criação onde podemos acumular recursos vindo de pedras, árvores, animais e plantas, para construir itens, poções e comidas. O sistema é bem completo, mas dificilmente será bem aproveitado por um jogador que não gaste um pouco de dinheiro real, já que possuímos pouco espaço de armazenamento, e ele só pode ser expandido na loja premium. O espaço no inventário também é muito pouco, o que dificulta o bom uso do sistema de Criação.

Bless Unleashed ainda possui atividades cooperativas para duplas e grupos de jogadores, com Trials e Dungeons, além dos Chefões de mundo que demandam um grupo maior. Os locais são interessantes e oferecem um bom desafio, com mecânicas inteligentes e divertidas. Ainda existem arenas de PvP, mas eu não cheguei a testar por falta de um level mais adequado. Não é um tipo de conteúdo que eu curto muito em um MMORPG, e o sistema lento de progressão também não me incentivou a ir mais além para conhecê-lo.

Microtransações

Bless Unleashed se trata de um jogo free to play, e como muitos que seguem esse estilo ele possui uma loja onde os jogadores podem optar por usar dinheiro real na compra de pacotes, e outros produtos que variam entre itens cosméticos e facilitadores como boosters ou recursos. Saber como equilibrar esses produtos de forma que sejam opcionais e não vitais para a experiência, é o que separa um jogo com um sistema de monetização justo, de um que seja Pay to Win, onde quem gasta mais dinheiro real se torna mais forte e de maneira mais rápida.

Bless Unleashed possui diversos pacotes de fundador que recompensam com montarias, roupas e a moeda premium do jogo, chamada de Lumena. Além disso, também existem os Valor Perks, que funcionam como um tipo de assinatura que oferece facilitadores que aumentam a quantidade de ouro e experiência obtidos e reduzem os custos de algumas atividades do jogo. A princípio nada que torne o jogo um Pay to Win, pois ele pode ser aproveitado totalmente sem ele. O problema é que a velocidade com a qual você progride no jogo é extremamente mais lenta para quem não possui esses upgrades, o que torna a experiência um tanto quanto desigual, como citei para a progressão da história.

Na loja do jogo podemos encontrar itens como os boosters de experiência, de reputação com as facções, e de Gold. Além disso, existem o item que possibilita recebe mais Star Seed nas trocas limitadas por dia, o que facilita bastante a obtenção de recursos chave na criação de melhores itens, que também são obtidos com essa moeda especial ganha dentro do jogo, e que também é importante para acessar mais conteúdos. Você também pode comprar Gold, que é a moeda que você adquire nas missões e ao matar inimigos.

Outra coisa muito importante que está disponível na loja são espaços adicionais para o inventário e o baú. O que não é problema algum, já que é um tipo de serviço que existe em diversos jogos do tipo. No entanto, a quantidade ridiculamente pequena de espaços que você recebe, já foi pensada para você cair na tentação da loja premium. Existe a possibilidade de aumentar dentro do jogo os espaços do seu inventário, onde a cada baú que encontramos, recebemos um espaço no inventário. Sim, apenas um espaço a cada quatro baús.

Os boosters acabam sendo essenciais também para quem pretende jogar sério, uma vez que a progressão no jogo é dolorosamente lenta. Não chega a ser um pay to win agressivo, mas falta um pouco mais de equilíbrio entre o que pode ser encontrado na loja e o que conseguimos adquirir apenas jogando.

Gráficos e Som

Quanto aos seus visuais, Bless Unleashed apresenta um belo e vasto mundo, repleto com ambientes diversificados e com personalidade própria. Sejam nos castelos e grandes cidades, ou em desertos e florestas, você sente que está vivendo uma experiência dentro de um universo único. As paisagens são cheias de cores e vida, e mesmo em lugares mais sombrios o jogo oferece algo interessante e atmosférico. O jogo está otimizado para o Xbox One X, com suporte para 4K e HDR, o que deixa os visuais ainda mais bonitos para aqueles que podem aproveitar esses recursos. Os inimigos também possuem uma boa caracterização, trazendo diversidade para a exploração. Uma pena que esse mesmo cuidado não foi visto nos personagens, que como citei na parte da história, são, em grande parte, uma cópia descarada um dos outros. Faltou mais carinho nesse aspecto.

Já em relação ao desempenho, parece que os desenvolvedores seguem assombrados pelos problemas. Mesmo no Xbox One X, o jogo apresenta muitas quedas de framerate, chegando a travar totalmente em alguns momentos. Em algumas ocasiões mais críticas, quando existem muitos inimigos e efeitos na tela, ele chegou até mesmo a fechar. Além disso, em certos momentos as texturas e os inimigos demoram a carregar, tirando um pouco da beleza das regiões e da dinâmica das batalhas.

A trilha sonora é muito boa e traz o tom certo para as batalhas e a exploração. O som das habilidades e das armas em combate é bem feito e traz alguma diversão para as batalhas. As vozes são bem escolhidas, e apesar de não aumentarem a qualidade do título, também não prejudicam em nada. Infelizmente, o jogo não possui suporte para o português, o que atrapalha quem não possui noções de inglês.

Opinião

Já joguei diversos MMORPGs que me prenderam por inúmeras horas e até mesmo anos, mas Bless Unleashed não foi um deles. O jogo possui belos ambientes e um sistema de combate, que mesmo com algumas limitações, ainda se apresenta divertido. No entanto, a estrutura lenta de progressão com uma história cheia de missões desinteressantes, aliado aos diversos problemas de desempenho, não me trouxeram o incentivo necessário para que eu conhecesse mais do MMORPG. Infelizmente, o título não me ofereceu a diversão necessária para que eu me dedicasse a ele.

A Round 8 Studio conseguiu realizar boas melhorias em relação a versão cancelada do PC, mas ainda assim permanece oferecendo um jogo com muitos problemas de desempenho, e um sistema monetário que ainda visa forçar o jogador a gastar dinheiro real em facilitadores, ou então você irá andar com passos de tartaruga. Se não fosse a história rasa e desinteressante, talvez esse caminho não fosse tão tortuoso, mas a realidade é que o jogo deixa de ser divertido rápido demais. O que é uma pena, pois existe potencial para o universo apresentado. Fiquei muito animada pelo fato do jogo chegar primeiro no Xbox One, mostrando o interesse do estúdio em conquistar a plataforma, mas a alma de qualquer jogo é a diversão, e Bless Unleashed não me ofereceu isso.

Mesmo sendo um jogo free to play vou inseri-lo na categoria de “Compre em Promoção“, pois mesmo que você possa experimentá-lo de forma gratuita, eu não consegui ver o jogo com um bom uso do tempo. Mas, de qualquer forma, ele está disponível para um teste sem compromisso, e quem sabe sua experiência não seja melhor que a minha?

Entenda as nossas notas

Clique e confira na Microsoft Store.

Compartilhar.

About Author

Administradora de Empresas, mas apaixonada pelo mundo dos games e pelo Xbox!Fã da incrível e complexa franquia Halo e de seu icônico líder, o Master Chief. Também apaixonada por Dragon Age e seu universo magnífico. Ahhh e quem disse que Dark Souls não é divertido? :DSempre ligada nas notícias e novidades do lado verde da força!

Powered by keepvid themefull earn money