fbpx
Xbox Game Pass Ultimate: Inscreva-se por R$1

Desde o ano passado, The Elder Scrolls Online optou por realizar temporadas temáticas, e se em 2019 o tema foram os Dragões em Elsweyr, esse ano voltamos para a saudosa e icônica Skyrim, onde se passou o jogo mais famoso da franquia até hoje. O Coração Negro de Skyrim é o nome de toda essa aventura anual, enquanto Greymoor é o seu Capítulo principal, como uma verdadeira expansão. O conteúdo leva os jogadores ao oeste de Skyrim, a terra gelada dos Nords, e aos confins mais profundos de Blackreach, além de outros locais familiares como Solitude, Morthal, Labyrinthian, Dragon Bridge e mais.

No entanto, o conteúdo não oferece apenas nostalgia, mas também novas atividades, melhorias de gameplay e uma das histórias mais sombrias que o MMORPG já apresentou até hoje.

História

Como já dito acima, Greymoor leva os jogadores para Skyrim, mas a Bethesda e a Zenimax não optaram apenas por regressar a famosa província, mas trazer uma história que se passa 900 anos antes dos eventos de The Elder Scrolls V: Skyrim, oferecendo uma versão um tanto quanto diferente da ambientação vista no aclamado jogo.

A história principal gira em torno de um misterioso Lord Vampiro que está construindo um exército através das profundezas de Blackreach. Para isso, ele conta com o apoio incondicional do nefasto Icereach Coven e sua união de vampiros, lobisomens e outros aliados inesperados. A ideia é consumir o maior número de almas possíveis, pois elas que alimentam esses planos. A ameaça está devastando toda Skyrim e suas principais cidades, com o proposito claro de enfraquecer suas lideranças, e uma dessas armas mais poderosas são as Harrowstorms, que são brechas pelas quais esses inimigos cruéis espalham a destruição e o terror. Além de terem grande propósito para a trama, essas tempestades também adicionam uma das novas atividades para o MMORPG, mas eu falarei disso mais adiante.

Para lutar ao nosso lado, era certo que iriamos precisar de algum herói de Skyrim, e a escolhida foi a carismática Lyris Titanborn, uma velha conhecida dos jogadores e que é a companheira perfeita para toda essa aventura.

Apesar de ter uma progressão um tanto quanto previsível, a trama principal é interessante de acompanhar, e é legal ver os desenvolvedores se aventurando por temas mais sombrios. Além disso, toda a história se torna ainda mais completa com as missões secundárias, que são brilhantemente contadas, e trazem informações importantes sobre a narrativa que estamos vivendo, assim como os costumes daquele povo. Também viajamos pelos mistérios que não vemos na superfície de Skyrim, pois também somos levados a conhecer mais da mística Blackreach com tramas ainda mais sombrias, e muito bem desenvolvidas.

Jogabilidade

De nada adianta ter uma história boa de acompanhar se o jogo não receber novidades para sua jogabilidade, e nesse aspecto Greymoor também traz boas adições. A primeira novidade é a nova zona, que é Western Skyrim, um belo mapa que traz as paisagens tradicionais da gelada Skyrim, mas também os mitos de Blackreach. Como dito acima, foram inseridas muitas missões secundárias, e pode acreditar que vale explorar cada canto do mapa em busca dessas histórias.

A exploração está deliciosa, pois podemos encontrar seis chefes mundiais, duas masmorras públicas e seis Delves, além de um novo trial para 12 jogadores chamado Kyne’s Aegis. Bastante conteúdo para entreter os jogadores.

Mas o grande destaque dessas atividades do mapa são as Harrowstorms, que além da sua importância para a história são os novos eventos mundiais que acontecem pelo mapa, com a mesma ideia das Dark Anchor no jogo base.

O espetáculo visual das Harrowstorms é belíssimo. Tudo começa com uma mística névoa vermelha ao redor da área, depois os céus se abrem com uma sombria e imponente brecha vermelha onde os integrantes da Icereach Coven invocam suas criaturas demoníacas. Você precisa eliminar os inimigos, bem como os tentáculos que alimentam o boss poderoso que está no meio e que se alimenta da tempestade e da sua drenagem de almas. Com o se trata de uma grande atividade, será necessário um bom grupo para finalizá-la, o que garante um ótimo desafio e trabalho em equipe.

As Harrowstorms são tão divertidas que você se verá correndo para uma quando vislumbrar a mancha vermelha no céu.

Outra grande mudança que foi feita em The Elder Scrolls Online com a chegada de Greymoor, foi a reformulação do Skill Line dos Vampiros, que recebeu mudanças importantes. Não posso falar muito sobre elas, pois não uso habilidades de Vampiro, mas dentre os amigos de guilda que utilizam, muitos destacaram que o que mais gostaram foi o peso dado para a alimentação, pois quanto mais um Vampiro se alimenta de suas presas, mais forte ele fica, mas o custo disso será cobrado. Além disso, também foi adicionada uma nova animação para essa alimentação o que deixa tudo mais divertido. As mudanças parecem importantes e pretendo dar uma chance para a vida de Vampiro no futuro.

Antiguidades

A principal adição nas atividades de Elder Scrolls Online veio por meio do sistema de Antiquities (Antiguidades), que não só trouxe uma nova mecânica, como também duas novas Skill Lines.

O sistema funciona da seguinte maneira: Primeiro achamos a pista de um tesouro, e assim podemos começar a pesquisá-lo, o que se faz através de um mini-game que lembra bastante Bejeweled. Quanto mais pistas encontrarmos, mais bem direcionada será a nossa escavação. Caso alguma pista não seja atingida, mais locais serão abertos para você escavá-las antes de chegar na antiguidade. Na imagem abaixo encontrei todas as seis peças, o que me leva diretamente para o local onde o artefato está enterrado.

Chegando na área, devemos usar uma nova ferramenta, a Antiquarian’s Eye para te guiar através dessa área, para o exato local da escavação, que pode ser algo fácil ou difícil de se fazer de acordo com o seu nível nas novas Linhas de Habilidade para Scrying e Excavating, então se pretende levar o novo sistema a sério, se prepare para gastar alguns pontos nessas novas árvores. As pistas também possui níveis, então quanto maior nível delas, mais complexo será todo esse processo.

Para escavar a antiguidade precisamos passar por outro mini-game, onde precisamos escolher determinados quadrados para achar o artefato. Temos algumas tentativas antes para encontrar o local exato, e depois precisamos cavar efetivamente. No entanto, o local de escavação possui uma barra de durabilidade do solo, e caso a barra termine e você nao consiga retirar o item, terá que começar de novo.

A maioria dos itens encontrados rendem um bom Gold ao serem vendidos, e também existem alguns outros equipamentos fortes, emotes, itens cosméticos e até mesmo uma montaria.

Apesar de alguns itens interessantes para colecionar, eu não senti que seja algo muito recompensador no geral para uma rotina tão intensa de busca desses artefatos. Até mesmo o fato de ter que investir pontos de habilidade para atingir melhores resultados não foi algo que me agradou muito. Talvez eu mergulhe nele em algum momento, para tentar a montaria, mas não é algo que me divertiu.

Apesar de não ter curtido tanto, tenho que louvar a tentativa dos desenvolvedores em tentar coisas novas, que agitem a rotina dos jogadores, principalmente aqueles que já estão tão avançados que existe pouco para se fazer no jogo. Também foi bem positivo terem expandido o sistema para todas as áreas de Tamriel, não ficando restrito apenas a Western Skyrim, o que incentiva os jogadores na exploração de todo o mundo do jogo, descobrindo, inclusive locais que nunca haviam ido antes.

Gráficos e Som

A Bethesda e a Zenimax tinham em mãos um trabalho facilitado, pois os ambientes de Skyrim já existiam, mas também se tratou de um processo ingrato, pois não bastava apelar para a nostalgia de estar de volta na terra dos Nords, algo novo e atualizado precisava ser oferecido aos jogadores. Já existia um pouco de Skyrim no jogo com Reach e Eastmarch, mas pisar nessa terra de forma massiva precisava ser especial. E a equipe do jogo encontrou um bom equilíbrio entre a nostalgia e novidade.

Existe uma ótima sensação ao colocar os pés nas docas de Solitude, por exemplo, assim como é mágico explorar Blackreach e suas áreas mitológicas. Ambientações belíssimas, cheias de detalhes e que trazem uma sensação ótima de descoberta para jogador, pois mesmo que sejam áreas já conhecidas por quem jogou TES V, existem novas áreas para explorar, além de ser uma visão diferenciada de 900 anos antes do icônico jogo. Um prato cheio para os fãs.

Apesar de sentir falta das batucadas épicas de Elsweyr, a trilha sonora de Greymoor cumpre bem seu papel em trazer o sentimento de estar na terra dos Nords, o que é ótimo para a imersão. A dubladora Jennifer Hale dispensa apresentações, e a talentosa artista traz alma para a já carismática Lyris Titanborn, que é nossa principal guia e companheira nessa jornada, aumetando a qualidade dos diálogos.

O jogo segue sem suporte para legendas em português, o que é lamentável, já que impossibilita que os nossos jogadores aproveitem toda a riqueza do mundo de The Elder Scrolls Online.

Opinião

The Elder Scrolls Online: Greymoor traz uma narrativa mais pesada e sombria para Tamriel, o que foi uma mudança de ares muito boa para o MMORPG, pois fez toda a história e seus personagens brilharem ainda mais. Apesar de previsível, a trama principal é interessante, e ganha mais força com as missões secundárias, que é o onde o conteúdo tem seu grande ponto alto narrativo. Uma pena que sua trama não esteve muito completa, pois usaram um gancho como uma clara brecha para o último conteúdo dessa temporada, que virá no final do ano, como outro conteúdo pago.

As novidades adicionadas com as Harrowstorms, as Antiguidades e a nova Skill Line dos Vampiros são boas, e garantem boas horas de diversão. Além disso, todo o trabalho em trazer nostalgia e novidade nessa nova viagem para Skyrim foi bem-sucedido, sendo realmente agradável e imersivo revisitar essa nova versão da terra dos Nords.

No geral, apesar de Greymoor não ser a melhor expansão já lançada em The Elder Scrolls Online, ela ainda consegue oferecer um conteúdo divertido, e com uma boa duração de pouco mais de 30 horas.

Entenda nossas notas

Os Jogadores veteranos podem comprar o upgrade digital de The Elder Scrolls Online: Greymoor, enquanto novos jogadores podem comprar o pacote completo, que também dá acesso aos capítulos Morrowind, Summerset e Elsweyr. Vale lembrar que o jogo base está disponível no Xbox Game Pass bem como a expansão Morrowind,

Aproveite e confira também nossa análise do jogo base, e também das expansões Summerset e Elsweyr, além do DLC Murkmire.

Compartilhar.

About Author

Administradora de Empresas, mas apaixonada pelo mundo dos games e pelo Xbox!Fã da incrível e complexa franquia Halo e de seu icônico líder, o Master Chief. Também apaixonada por Dragon Age e seu universo magnífico. Ahhh e quem disse que Dark Souls não é divertido? :DSempre ligada nas notícias e novidades do lado verde da força!

Powered by keepvid themefull earn money