fbpx
Xbox Game Pass Ultimate: Inscreva-se por R$1

Alguns clássicos são eternos, eles trazem desde um personagem carismático até mesmo aquele gameplay lendário, que não te deixa esquecê-lo, e acaba morando para sempre no coração dos jogadores.

Battletoads é um desses clássicos, que mesmo tendo sido lançado para gerações passadas, recebe um carinho enorme por parte de alguns jogadores. Hoje, após quase trinta anos, temos uma nova versão desenvolvida pela ainda pouco conhecida Dlala Studios, que tenta fazer algo muito solicitado pelos jogadores, mas de uma maneira bem peculiar. Mas com as mudanças, veio também a estranheza, pois todo o design foi revitalizado para algo mais atual, e que pudesse conquistar novos jogadores. Inclusive os primeiros gameplays não agradavam alguns fãs, que sentiram um pouco as grandes mudanças, fazendo com que reinassem as dúvidas acerca do título.

Sabemos que com as mudanças, os desafios serão ainda maiores, mas será que a Dlala Studios conseguiu honrar a expectativa de tanta gente?

A VOLTA DE UMA LENDA

Uma das minhas maiores preocupações em relação ao jogo, é que mudanças tão drásticas poderiam trazer uma história que não condizia com o contexto da franquia, que sempre teve um humor bem ácido e cheio de atitude. Afinal, o mundo após trinta anos mudou, e piadas antes aceitas pela sociedade, hoje são condenadas.

Nos primeiros minutos somos reapresentados aos protagonistas de Battletoads, que pela nossa surpresa estão inseridos no contexto atual, com cada um seguindo sua vida, sendo ela mais chata do que há uns trinta anos atrás.

Além dos Battletoads, tivemos um grande destaque para a Dark Queen.

Além dos Battletoads, tivemos um grande destaque para a vilã Dark Queen.

Rash, Zitz e Pimple, ganharam camadas mais profundas em suas personalidades, mostrando que não são somente sapos musculosos. Sim, eles possuem personalidades distintas e que foram abordadas de formas diferentes. Fiquei muito empolgado em conhecer alguns deles, e até mesmo criar um certo vínculo com os personagens.

Dark Queen, a vilã da franquia, também foi reformulada, trazendo a personagem para um contexto mais atual, onde as mulheres são tão protagonistas, quanto os homens. Quem sabe em uma sequência poderemos jogar com a personagem?

UM JOGO DIVERSO

Quem pensa que Battletoads se resume a um jogo de Beat ’em up, está completamente enganado. Durante toda a nossa jornada somos apresentados a vários tipos de gêneros, algo bem ousado para os dias de hoje.  Temos luta, minigames, plataforma, puzzles e até mesmo um shooter de navinha. Muitos jogadores terão mais apreço por alguns gêneros, mas no geral eles se completam e fazem a jornada ainda mais divertida.

Mas nem tudo são flores, na tentativa de querer ousar, vieram alguns problemas, onde algumas partes do jogo ficaram bem chatas e meio sem sentido. Como algumas partes de plataforma, que ficaram massantes.

As partes de navinha foram uma grata surpresa.

As partes de navinha foram uma grata surpresa.

Em contrapartida, as fases de navinha deram um show a parte, onde foi muito satisfatório passar por alguns trechos. Algo que pode ser ainda mais explorado em uma possível sequência. As famosas partes com as motocas continuam difíceis, mas que trazem uma boa dose de diversão. Mas não se espante, o jogo funciona para todos.

Voltando a falar da parte das lutas, elas são bem interessantes e com combos divertidos, ainda mais jogando em cooperativo. Cada sapo possui golpes diferentes, assim como agilidade e força física, que você descobrirá jogando, Além disso, eles possuem alguns golpes especiais bem interessantes. Um grande problema é a ausência de cooperativo online, já que o co-op de sofá já não é uma ferramenta tão efetiva.

Em Battletoads temos três níveis de dificuldade, onde a Sapo (normal) já traz uma boa dificuldade. Caso o jogador queira passar mais raiva, só escolher a Sapo de Batalha (difícil). E por fim, tem a Girino que é a mais fácil.

INIMIGOS INTERESSANTES

Uma das grandes qualidades do jogo é a sua facilidade em mudar a sua fórmula. Mesmo nas batalhas contra chefes somos surpreendidos positivamente, ao trazer diferentes abordagens para cada inimigo.

Descubra a melhor fórmula de acabar com seu adversário, e falhe, pois tudo muda no meio da batalha. Em um ciclo de tentativa e erro, uma hora você vai acabar conseguindo.

Cada batalha contra chefe é uma surpresa.

Cada batalha contra chefe é uma surpresa.

Além dos chefes, temos alguns inimigos comuns que irão dar trabalho ao jogador. Quando eles se misturam a coisa fica mais feia, fazendo com que o jogador saia da sua zona de conforto. Durante as fases, alguns inimigos básicos possuem ataques diferentes, que não são somente soco e chute, dessa forma quando são enfrentados juntos, dão muito mais trabalho.

UM CARTOON QUE TEM FUTURO

A história de Battletoads é contada em cenas entre as fases, que lembram muito alguns desenhos do Cartoon Network, mas que escondem piadas bem adultas e cheias de atitude. Mas nada que possa ofender as crianças.

Algumas momentos hilários ficarão em nossas memórias, onde mostra um certo capricho da Dlala Studios, que soube contar bem cada detalhe da história, e de forma cativante.

Os personagens são carismáticos e ao mesmo tempo conseguem ser sarcásticos.

Quem sabe não teremos um desenho na Netflix? Acredito que valeria super a pena, ainda mais para trazer mais popularidade para a franquia.

SOM E GRÁFICOS

A direção de arte do jogo é incrível, com uma paleta de cores bem variada, mas que faz sentido no contexto de cada missão. Percebe-se que o design de cada fase, bem como dos personagens, foram feitos com todo o carinho, lembrando um trabalho todo desenhado a mão.

O som é espetacular, com faixas de rock pesado que lembram os clássicos da franquia. O jogo possui legendas em Português do Brasil, e elas funcionam muito bem. Mas senti falta de uma dublagem, com a qual Battletoads teria um alcance ainda maior entre o nosso público.

OPINIÃO

Battletoads é uma ótima opção para quem busca divertimento com doses de desafio, seja solo ou em cooperativo, o jogo é garantia de boas risadas e alguns momentos de pura raiva. A falta de um cooperativo online fez bastante falta, ainda mais se você tem costume de se reunir na Xbox Live para jogar com seus amigos.

Alguns modos de jogo se destacaram, como por exemplo o shooter de navinha e alguns puzzles, mas outros não são tão atraentes e acabam com o ritmo do jogo, como por exemplo algumas partes de plataforma. A direção de arte é um dos destaques, onde a revitalização da franquia funcionou perfeitamente, com personagens carismáticos e com camadas bem exploradas.

Entenda nossas notas

Lembrando que o jogo já está disponível para todos os assinantes do Xbox Game Pass. Caso queira adquirir o jogo, basta clicar no link abaixo.

Compartilhar.

About Author

Desenvolvedor Web e Analista de TI, gamer assíduo desde a época do Atari, fã de Metal Gear(menos o Phantom Pain) e Gears of War. Ter a oportunidade de trabalhar um pouco com games é um sonho realizado. Falta só ir para E3!!!

Powered by keepvid themefull earn money