fbpx
Xbox Game Pass Ultimate: Inscreva-se por R$1

Um dos principais lançamentos de 2020 está chegando, Call of Duty: Black Ops Cold War levará a Guerra Fria para o mundo de Call of Duty. O jogo, que é desenvolvido pela Treyarch em conjunto com a Raven Software, ganhou um beta aberto recentemente, e tivemos a oportunidade de testar por alguns dias.

Confesso que minha empolgação com o jogo não foi tão alta como em Modern Warfare, mesmo a campanha do Black Ops original sendo uma das melhores, fiquei meio cético quanto a rapidez no desenvolvimento.

Analisei os modos disponíveis durante a beta, que foi bem produtiva e cheia de surpresas. Abaixo descreverei as minhas experiência como esse grande jogo.

UM COD MAIS ARCADE

A franquia CoD, como carinhosamente é chamada, sempre trouxe em seu alicerce um shooter arcade, que prioriza a simplicidade e velocidade. Em Call of Duty: Black Ops Cold War não seria diferente, e nos primeiros minutos da beta pude observar que a jogabilidade está mais fluída do que nunca.

Em alguns momentos parecia que estava jogando de teclado e mouse, tamanha a precisão e velocidade ao usar o controle para se locomover pelos mapas. Além disso, as armas estão com uma precisão muito boa, fazendo com que a partida seja ainda mais leal.

Fiquei impressionado como o jogo está bonito, e como conseguiram deixa-lo rápido. Mesmo com mapas cheios de detalhes e texturas pesadas, a performance continua firme, sem quedas de frame ou lentidão na hora de renderizar um objeto.

UM NOVO MODO INTERESSANTE

O modo Fireteam Dirty Bomb é uma das principais novidades que foram apresentadas durante a beta, que é uma espeécie de Battle Royale com um mapa mais curto, onde o objetivo é ativar algumas bombas químicas que vão deixando o mapa com menos espaço. O modo pode agradar os dois publicos de multiplayer, o tradicional e o de Battle Royale, por simplesmente fazer um boa mistura entre esses dois.

A diferença para os modos tradicionais de Battle Royale é que já estamos com nossas armas, dando a possibilidade de pegar algumas melhorias pelo cenário, como colete e minas, por exemplo.

Outro objetivo desse modo era coletar e depositar um minério, que era encontrado em alguns baús pelo cenário. Mas pelo que percebi, alguns jogadores simplesmente ignoravam esse objetivo.

Durante o teste pude controlar um Snowmobille, que é uma moto de neve bem rápida, e que ajuda a se locomover rapidamente. Então podemos esperar por mais veículos no jogo completo, inclusive motos.

O mapa disponível para esse modo era o Alpine, que trazia grandes possibilidades para abordagens a longa distância, além de ter ótimos lugares para se esconder.

MULTIPLAYER TRADICIONAL

Durante a beta, também era possível testar alguns modos tradicionais como Dominação e Morte Confirmada por exemplo, que continuam sendo muito divertidos e bem dinâmicos.

Nesses modos mais tradicionais, existiam uma variedade maior de mapas para testar, como o ótimo Miami, que era repleto de objetos para se esconder dos tiros. Além disso, também existiam pontos estratégicos para quem curte atirar de longa distância.

A performance do servidor e do jogo em si estava muito boa.  Não tive grandes problemas durante o teste, e mesmo jogando em um Xbox One S, o jogo se comportou de forma exemplar. O único problema que eu percebi foi no respawn, algo que acontece com frequência nos jogos da franquia, que acaba forçando algumas mortes bem precoces.

Na versão final teremos o lendário Modo Zumbi, que virou tradição na franquia Black Ops, mas que não estava disponível durante a beta.

LOADOUT DE RESPEITO

Outro ponto bem positivo da Beta é que tivemos a nossa disposição vários operadores, que são bem interessantes e mostram que o jogo terá uma variedade enorme de personagens no seu lançamento. Alguns nomes conhecidos, como Woods, estão com um design ainda mais realista.

A Beta já tinha vários operadores disponíveis.

As armas também foram um grande destaque, com um belo acervo apresentado. Temos desde a lendária AK 47, até mesmo a M16, que representam os dois lados da Guerra Fria. O número de armas também é bem positivo, oferecendo opções para o jogador usar uma combinação para cada situação, através da customização das classes.

Em determinado ponto da Beta, ficou liberado todos os upgrades de cada arma, então deu para testar várias opções de customização.

SOM E GRÁFICOS

Os gráficos me chamaram a atenção, mesmo sendo um teste focado no multiplayer, os efeitos de iluminação e texturas ficaram ótimos. Lembro que existia uma diferença perceptível na campanha de Modern Warfare para o competitivo, onde no último era priorizado o framerate ao invés da resolução nos consoles base. Aqui pelo que estou vendo a diferença não será tão gritante.

Miami é cheia de Neon, trazendo um grande contraste de cores.

O som das armas continua incrível, mostrando que esse quesito não traz nenhuma dúvida quanto a qualidade do título. A abertura de cada partida contém uma música empolgante que já prepara o terreno para a batalha.

OPINIÃO

Call of Duty: Black Ops Cold War pode surpreender nessa reta final, pois seu multiplayer chega com o aprendizado realizado em Modern Warfare e Warzone. Indico para quem gosta de shooters rápidos, onde o jogador não precisa estudar muito o que deve ser feito.

Os gráficos estão incríveis, com ótimos efeitos de iluminação. Mesmo em mapas grandes como Alpine, não percebi uma queda na qualidade. Outro ponto positivo é a estrutura dos mapas, que estão bem desenhados, sendo assim os jogadores podem jogar do jeito que acharem melhor.

O modo Fireteam Dirty Bomb também tem seu brilho, afinal ele é uma espécie de Battle Royale mais dinâmico, onde o jogador não precisa passar horas até completar a partida.

O beta realmente foi bem esclarecedor, trazendo mais hype para os jogadores que estavam na dúvida quanto ao jogo. A campanha e o Modo Zumbi irão completar o pacote do shooter que deve ser o mais atrativo do final da geração.

Call of Duty: Black Ops Cold War será lançado no dia 13 de Novembro e já pode ser pré-encomendado na Microsoft Store com três edições distintas. Vale lembrar que a versão de Xbox One funcionará no Xbox Series Series X via retrocompatibilidade e de forma gratuita, mas para jogar a versão otimizadaAnal para o novo console será necessário pagar pela versão com a opção de upgrade.




Compartilhar.

About Author

Desenvolvedor Web e Analista de TI, gamer assíduo desde a época do Atari, fã de Metal Gear(menos o Phantom Pain) e Gears of War. Ter a oportunidade de trabalhar um pouco com games é um sonho realizado. Falta só ir para E3!!!

Powered by keepvid themefull earn money