fbpx
Xbox Game Pass Ultimate: Inscreva-se por R$1

Em abril de 2020, a Bloober Team anunciou que seu thriller cyberpunk, Observer, receberia uma versão para os consoles da, até então, próxima geração. Observer: System Redux aproveita todo poder do Xbox Series X|S para oferecer um gameplay fluído e gráficos mais fidedignos. Se experimentar a versão melhorada de um dos melhores jogos da Bloober Team não for o suficiente, vale lembrar que se trata de um dos últimos trabalhos de Rutger Hauer no mundo dos games.

De volta a Cracóvia

O ano é 2084, a tecnologia avançou de tal forma que fica difícil definir o que é homem ou o que é máquina. Realidade virtual. Informações virtuais no mundo real. Próteses mecânicas. Implantes cibernéticos. A relação do ser humano com a tecnologia se tornou algo quase que simbiótico.

Neste futuro surreal, assumimos o papel de Daniel Lazarski, um Observador. Em uma patrulha de rotina, Lazarski recebe uma mensagem com pedido de ajuda de seu filho que não via há anos. Ao rastrear a origem da mensagem, o protagonista acaba indo parar nas favelas da Cracóvia, na Polônia. Lá, descobrimos um assassinato brutal. Sem conseguir identificar a vítima, Lazarski se desespera. Poderia ser seu filho? Alguém ligado a ele? Era hora de começar seu trabalho como um Observador.

Diferentemente de outros projetos da Bloober Team, como Layers of Fear e o recente Blair Witch, Observer deixa o terror de lado e aposta mais no clima do suspense de um bom thriller. Um pedido de socorro enigmático. Um crime para desvendar. Por último, mas não menos importante, descobrir o paradeiro de seu filho. Motivos de sobra para instigarem a curiosidade do jogador a continuar sua jornada.

Eu, Observador

Na realidade de Observer, os detetives são conhecidos como Observadores, uma unidade especializada na elucidação de crimes. Munidos de melhorias tecnológicas, são capazes de identificar desde traços biológicos até componentes eletrônicos através de objetos. Mas o verdadeiro trunfo de um Observador é entrar na mente das pessoas, via conexão neural.

Observar a mente de uma pessoal, literalmente. O que ela está vendo. Suas lembranças. Imaginem as vantagens. Não existiria um crime sem uma solução. Por outro lado, o conceito de privacidade não existe para um Observador. Ao invadir sua mente, ele poderia descobrir seu segredo mais íntimo. Por isso mesmo, eles não são vistos com bons olhos pela sociedade.

Entretanto, há ainda um fator crítico para um Observador. Existem situações nas quais invadir a mente de uma pessoa não é recomendado. Uma pessoa que sofreu uma experiência traumática. Alguém usando alucinógeno. A mente de um psicopata. Nós conseguimos observar a materialização do medo de algumas pessoas. Até mesmo misturar as lembranças do observador com a pessoa que ele está observando.

Certamente, não é algo para quem tem estômago fraco. Um fator que torna a experiência de Observer tão única.

Ainda é preciso melhorar

O grande chamariz de Observer: System Redux é, além da adição de novos conteúdos na história, como missões secundárias e novos locais para explorar, as melhorias gráficas possibilitadas pelo poder da nova geração. E, em um primeiro momento, este quesito impressiona se comparado ao jogo original. O jogo roda a 60fps (no Series X), a modelagem do cenário e dos personagens também estão bem melhores. Tive bem mais incômodo ao invadir a mente das pessoas nesta versão do que no jogo original, possivelmente devido ao fato das imagens parecerem ainda mais reais.

Todavia, infelizmente um problema corriqueiro nos jogos da Bloober Team não demorou a aparecer. O jogo começou a apresentar queda na taxa de quadros. Em cenas mais movimentadas sempre ocorriam quedas bruscas dos frames. E apesar de visualmente o jogo está bem melhor, confesso que não impressiona. Não é algo que possa dizer: “Caraca! Esse é o poder da nova geração!“. Então o jogo acaba decepcionando no seu principal diferencial, até então.

A parte sonora continua exatamente como a original. Rutger Hauer ainda é dono da voz de Daniel Larzarski, felizmente. O jogo também conta com legendas em português do Brasil.

Opinião

Observer: System Redux é uma ótima remasterização de um dos melhores trabalhos da Bloober Team. É um jogo que consegue fazer o jogador repensar como o avanço da tecnologia pode trazer um futuro não tão maravilhoso como todos imaginamos. As melhorias aplicadas nesta versão tornam a experiência ainda mais imersiva, sendo um ótima pedida tanto para quem curtiu original quanto novos jogadores. Mas se você procura uma experiência “next-gen“, pode acabar se decepcionando.

Entenda nossas notas!

 


Compartilhar.

About Author

Aficionado pela cultura geek. Se o cinema é a sétima arte, os games são a oitava. Entrou no mundo dos consoles no NES e desde então vem acompanhando a geração dos games até o Xbox One. Caçador de indies, nas horas vagas tenta ser biólogo.

Powered by keepvid themefull earn money