fbpx
Xbox Game Pass Ultimate: Inscreva-se por R$1

Inicialmente, o jogo foi apresentado como Gods & Monsters, com a proposta de trazer uma aventura pelo mundo da mitologia grega, onde iríamos derrotar monstros poderosos até chegar no nefasto Tifão. Depois de um período de silêncio, o jogo ressurgiu com o nome de Immortals Fenyx Rising, mantendo o foco na mitologia grega, com o vilão sendo Tifão, e o seu estilo gráfico cartoon e bem colorido, no entanto em vez de focar em apenas derrotar monstros, agora também teremos que salvar deuses gregos que sofrem de uma maldição sombria.

O jogo está sendo desenvolvido pela Ubisoft Quebec, que é conhecida por seu trabalho em Assassin’s Creed Odyssey, e que trouxe claras referências do título para esse novo projeto, mas que também não se intimidou em mostrar novas facetas da sua criatividade.

Vamos conferir nesta análise como foi a experiência dentro dessa perspectiva irreverente da mitologia grega.

Um ponto de vista irreverente sobre a mitologia grega

Em Immortals Fenyx Rising nós controlamos a escudeira e semideusa Fenyx, que após um grande acidente ocorrido com a frota de navios que estava, acaba naufragando na Ilha Dourada, que é o local onde os deuses gregos vivem. Chegando lá ela descobre que seu irmão, e a tripulação que sobreviveu, foram transformados em pedra, e você agora deve tentar entender o que ocorreu para buscar uma forma de salvá-los. Você acaba encontrando Hermes, que é um tipo de guia para essa jornada, e ele explica que tudo é obra de Tifão, o temível destronador de deuses, e pai de vários dos monstros.

O vilão não só transformou diversos semideuses em pedra, como também libertou monstros na Ilha Dourada, e jogou uma maldição nos deuses Afrodite, Ares, Atena e Hefestos para que não atrapalhassem seus planos. Ele está em busca de vingança, pois Zeus o prendeu em uma montanha. Tifão agora não só quer destruir Zeus, como também tomar para si o trono do Olimpo.

Em nosso caminho encontramos o esperto Hermes, que nos conta que precisamos libertar esses deuses da maldição para que juntos possamos derrotar Tifão e assim libertar a ilha da sua presença maligna. Você é a última esperança dos deuses, e deve partir nessa jornada para salvar o destino do mundo.

Parece uma trama tensa, mas não se engane, pois você irá dar boas gargalhadas durante a jornada, tudo graças a dois narradores maravilhosos, e que roubam a cena cada vez que aparecem. Prometeus e Zeus surgem para narrar pontos importantes da história, bem como novas mecânicas de jogabilidade que surgem para Fenyx. De um lado temos Prometeus, dando toques poéticos e falando o fato dos acontecimentos, do outro temos um Zeus fanfarrão sempre dando o seu ponto de vista debochado dos fatos. A relação entre os dois é maravilhosa, dando um charme ímpar para a narrativa, com uma dinâmica que transmite todo o perigo que a protagonista está passando para salvar o mundo, mas sempre nos fazendo rir com os comentários que fazem, principalmente com a total falta de noção de Zeus com o que acontece ao seu redor. Uma mistura deliciosa, que deixa a jornada de Fenyx leve, mas sem perder de vista a gravidade dos acontecimentos.

A história de Immortals Fenyx Rising encontrou o tom certo, conseguindo nos passar o sentimento de estar vivendo uma aventura épica pela mitologia grega, mas nos oferecendo um novo ponto de vista sobre aqueles deuses e suas vidas. Essa mistura nos conquista desde o início, e nos prende mais a cada nova missão da história completada ou as missões secundárias que surgem, e que são igualmente interessantes.

Um delicioso encontro entre Assassin’s Creed Odyssey e Zelda: Breath of the Wild

Immortals Fenyx Rising possui um gameplay com muitas mecânicas e possibilidades, trazendo elementos de RPG, puzzles, seções de plataforma, desafios de navegação e um combate que mistura bem o tático com o Hack and Slash. Quando olhamos para o jogo, percebemos uma clara inspiração artística e nas limitações de navegação inspostas pelo gerenciamento de estamina como em Zelda: Breath of the Wild, mas conforme vamos conhecendo mais do projeto, vemos que tem muito dos últimos Assassin’s Creed nele, principalmente o Odyssey, que foi desenvolvido pelo mesmo estúdio. O mais incrível dessa mistura toda, e que ainda assim ele consegue trazer sua personalidade, largando a mão de suas inspirações e trilhando seu próprio caminho, oferecendo uma aventura leve, divertida, mas também cheia de desafios e complexidades.

Vamos começar pelo combate. Fenyx possui duas armas corpo-a-corpo, a Espada de Aquiles para ataques leves, e o Machado de Atalanta para ataques pesados. Para ataques a distância temos o Arco de Odisseu. Para complementar esse set dos deuses, nossa protagonista também possui as Asas de Dédalo, que além de ser importante para sua movimentação pelo mapa, também é um elemento que pode ser usado para criar estratégias de combate. Com a exceção das Asas, o set de armas disponíveis lembra bastante a configuração dos jogos atuais da franquia Assassin’s Creed, e como tal o jogador deve ter atenção na hora certa de atacar e usar a esquiva, para sair bem-sucedido das batalhas.

Além das armas, Fenyx também pode equipar uma armadura e um elmo, e assim como as armas, cada parte do equipamento possui além de dano ou defesa, alguns atributos passivos, que são desbloqueados ou melhorados conforma realizamos melhorias neles, utilizando uma série de recursos encontrados pelo mapa. Sempre devemos retornar para o Salão dos deuses para realizar essas melhorias, mas não se preocupe, pois assim como em Assassin’s Creed, conforme “sincronizamos” determinados pontos do mapa, ou descobrimos locais de interesse importantes, podemos utilizá-los como pontos de viagem rápida.

Nesse santuário também podemos aumentar nossa vida de acordo com determinadas quantidades de Ambrosia que encontramos; também podemos aumentar nossa barra de vigor com os Raios de Zeus; criar poções que nos ajudam a recuperar vida, vigor ou ainda melhorar nosso dano ou defesa; desbloquear desafios para recompensas interessantes; utilizar a forja para melhorar equipamentos e quantidades de poções e flechas que podemos carregar; customizar a aparência do nosso personagem sempre que quisermos; ou ainda desbloquear e melhorar habilidades com as Moedas de Caronte encontradas durante a exploração ou completando desafios míticos pelo mapa. Como você viu, tem muito para explorar, caso deseje otimizar o poder do seu personagem. Aqui não existe nível, pois seu sucesso nos desafios e na progressão do jogo está relacionado ao quanto você explorou as possibilidades para deixar Fenyx poderosa.

E falando em habilidades, existe uma boa quantidade de opções para você se dar bem em Immortals Fenyx Rising. Existem habilidades para dar golpes massivos em área, ou ainda uma investida poderosa, e até mesmo guiar sua flecha para acertar em cheio o ponto fraco de um inimigo. Você tem até mesmo o pássaro Eósforo, que te ajuda em combate, e pode ser ainda mais útil se você realizar melhorias nas habilidades dele. Todas essas habilidades especiais podem ser usadas utilizando a barra de vigor. E para dar mais ajuda para Fenyx nessa jornada, os deuses que você está ajudando lhe concedem Bênçãos, que adicionam habilidades passivas importantes para dar suporte para a nossa escudeira.

Toda ajuda é bem-vinda, pois os inimigos são desafiadores, e você irá enfrentar criaturas místicas como Ciclope, Medusa, e outros mais durante sua jornada. A diversidade de inimigos é boa, e a variedade das suas habilidades tornam as lutas muito interessantes. Além de vida, esses inimigos possuem uma barra de atordoamento, que quando preenchida os deixam caídos por alguns segundos preciosos, que é o momento crucial para você colocar todos os elementos acima em ação.

A personalização de Fenyx é ampla, e além de criar a sua, ou o seu, protagonista e customizá-lo com o estilo que desejar, no início da aventura, também é possível alterar essa escolha a qualquer momento durante o gameplay, basta ir fazer uma visita ao Salão dos deuses. Algo que eu curti muito em Immortals é que os equipamentos também podem ser customizados, sem que as estatísticas dele sejam perdidas. Dessa forma, podemos usar uma armadura que nos confere algum tipo de atributo que achamos mais poderoso, mas pegar a aparência de outra que gostamos mais do estilo. Não precisamos sacrificar poder, para ficar mais estiloso, e para quem joga RPG essa sempre é uma escolha de vida ou morte. Você pode não admitir, mas é.

A exploração da Ilha Dourada é rica de possibilidades, com segredos, e puzzles bem desafiadores e que colocarão os jogadores para pensar, algumas vezes fora da caixa. Além disso, existem muitos inimigos poderosos para encontrar, com animais e criaturas lendárias oferecendo batalhas difíceis. Um sistema bem parecido com o de Assassin’s Creed, mas com algumas limitações de movimentação que também lembram Breath Of The Wild, e que requerem mais estratégia e observação do jogador. Se em Assassin’s Creed você pode subir onde quiser e quando quiser, pois o personagem não fica cansado, aqui Fenyx possui essa limitação, e o jogador precisa analisar bem onde consegue subir, ou até onde pode voar e nadar sem que a barra de vigor se esgote. Também é possível utilizar poções para preencher essa barra. Uma limitação que eu gostei, devido ao fator estratégia adicionado para a movimentação. Fenyx também pode utilizar montarias, e elas podem ser adquiridas como o sistema de doma, pois alguns animais podem ser domados e adicionados ao inventário como opção de montaria.

A exploração é importante para coletar recursos que fortalecem Fenyx, além de trazerem atividades realmente interessantes, divertidas e desafiadoras. Um grande destaque dessas atividades são as Câmaras do Tártaro, que nos levam para uma dimensão diferente, onde cada uma delas possuem seus próprios desafios, sejam chefões, hordas, puzzles ou tudo isso junto. Lá também existem baús muito bem escondidos e que possuem boas recompensas.

O mapa é muito gostoso de explorar, com cada região trazendo a sua própria personalidade, destacando as características de cada deus que o governa. Sempre com algo novo para descobrir.

A duração é muito boa. Eu demorei cerca de 30 horas para terminar a campanha, e explorando diversas atividades do mapa, mas ainda ficou muita coisa para completar, o que deve, no mínimo, dobrar esse tempo. Quando terminar a história, o jogo te oferece a opção de continuar a exploração antes da missão final, ou começar um Novo Jogo+ para recomeçar a história, mas mantendo grande parte da sua progressão e itens.

No geral, a jogabilidade de Immortals Fenyx Rising é simples, direta ao ponto e muito sólida. Pode não ser aquele jogo super inovador ou que impressione o mundo, mas nem acredito que esse era o objetivo. O jogo é bom, é interessante e todas as suas mecânicas funcionam bem, divertindo o jogador, e trazendo desafio na medida certa.

Uma belíssima jornada pela Ilha Dourada

Os cenários de Immortals Fenyx Rising são belíssimos, e enchem nossos olhos com seu estilo de arte distinto. O jogo foca nos gráficos voltados para o cartoon, e aposta na explosão de cores na tela. Tudo enriquecido com uma belíssima iluminação, texturas riquíssimas, com ambientes, equipamentos e personagens muito bem construídos. A Ubisoft conseguiu, com maestria, capturar toda a grandiosidade e misticismo da mitologia grega, mas dando um toque mais leve para toda a experiência. A cada novo local descoberto nossos olhos se enchem, seja em locais fechados, no amplo mapa aberto ou nas Câmaras do Tártaro, você sempre estará maravilhado com a diversidade das regiões, bem como qualidade de tudo que existe nelas. Mais uma grande demonstração da capacidade da Anvil, que é o motor gráfico da Ubisoft.

O desempenho do jogo foi estável durante toda a minha experiência, sem quedas de frames ou travamentos. No Xbox Series X ele se apresenta belamente com 4K, 60FPS e HDR, com cenários ainda mais brilhantes e loadings muito rápidos que não quebram a imersão. No Xbox One X ele também se apresenta muito bem, apesar dos loadings demorados. O único problema que encontrei no Xbox One X são os saves, pois diversas vezes quando fui salvar manualmente, o jogo travava nessa tela, e apesar de salvar meu progresso, ele não permitia que eu voltasse para o gameplay, sendo necessário fechar o jogo para retomar a jogatina. Esse problema de saves está se tornando recorrente nos últimos jogos da Ubisoft, e é algo que precisa ser corrigido com urgência.

A trilha sonora de Immortals Fenyx Rising acompanha a qualidade do título, com cada tema trazendo toda aquele sentimento de estar dentro de uma grande, e épica, aventura mitológica. A escolha das vozes também foi brilhante, pois os dubladores trazem a real personalidade daqueles personagens, tornando a história ainda mais interessante de acompanhar. Destaque absoluto para a dublagem em português do Brasil, que é simplesmente soberba. Os atores encontraram o tom certo para cada personagem, seja nos momentos mais sérios ou engraçados, enriquecendo muito a narrativa. É possível jogar em diversos idiomas, e com legendas PT-BR, a escolha é sua, mas eu recomendo muito jogar com a dublagem brasileira.

Opinião

Immortals Fenyx Rising traz um delicioso ponto de vista para a já amplamente explorada mitologia grega. O título está recheado de irreverência, com um mundo dinâmico e interessante de explorar, inimigos desafiadores, e uma apresentação gráfica de encher os olhos. O projeto da Ubisoft chegou sem muito alarde, mas pode se consolidar como um dos jogos fortes do catálogo do estúdio, além de mostrar para a própria empresa que, às vezes, se arriscar por novas possibilidades é um passo importante pare se renovar.

A jornada de Fenyx é super divertida e interessante de ponta a ponta, oferecendo ao jogador uma experiência sólida e que vale cada minuto investido nela.

Entenda nossas notas

Vale lembrar que o título utiliza a tecnologia Smart Delivery, o que significa que aqueles que comprarem o jogo no Xbox One, terão acesso a versão otimizada para o Xbox Series X|S sem nenhum custo adicional.



Compartilhar.

About Author

Administradora de Empresas, mas apaixonada pelo mundo dos games e pelo Xbox!Fã da incrível e complexa franquia Halo e de seu icônico líder, o Master Chief. Também apaixonada por Dragon Age e seu universo magnífico. Ahhh e quem disse que Dark Souls não é divertido? :DSempre ligada nas notícias e novidades do lado verde da força!

Powered by keepvid themefull earn money