fbpx
Xbox Game Pass Ultimate: Inscreva-se por R$1

Enfim, o público brasileiro conseguiu de fato ter um gostinho de como é jogar jogos de Xbox diretamente da nuvem. O Project xCloud chegou em fase de testes nas nossas terras e pude analisar como o serviço funciona, e se ele realmente funciona.

Enfim, jogar na nuvem

Foi em Outubro de 2018 que a Microsoft apresentou um de seus mais ambiciosos projetos, o Project xCloud. Um serviço capaz de fazer com que você pudesse jogar jogos de Xbox de qualquer lugar, a apartir de qualquer dispositivo móvel com acesso a internet. Na época, parecia algo impossível. LAG, latência, nível de detalhes e outros questionamentos surgiram, mas a Microsoft estava decidida em embarcar nesta nova empreitada.

 

Praticamente dois anos depois, o serviço enfim chegou em terras tupiniquins, ainda em fase beta, é verdade, mas chegou! Acredite, a experiência pode surpreender. Pude testar jogos no tablet e em um celular android e vou compartilhar minha experiência.

Preparando-se para jogatina

Certo, mas o que é preciso para testar o Project xCloud? Primeiro, cadastrar-se no site do programa. Realizada esta etapa, é aguardar o convite para participar da fase testes do programa. Supondo que tenha recebido um convite, serão necessários os seguintes itens para você jogar na nuvem:

  • Dispositivo móvel compatível: Android versão 6.0 ou superior, Bluetooth versão 4.0;
  • Controle sem Fio do Xbox compatível com Bluetooth;
  • Conexão de dados móvel ou Wi-Fi de 5 GHz com velocidade de download de pelo menos 10 Mbps;
  • Aplicativo Xbox Game Streaming;

Realizado o checklist, é hora de acessar o app Xbox Game Streaming. Será pedido usuário e senha da sua conta Xbox Live, lembrando que é necessário uma assinatura Xbox Game Pass Ultimate, e conectar a um controle compatível via bluetooth. Vale salientar que alguns jogos não necessitam de um controle para serem jogados.

Pronto! Você já está apto para jogar na nuvem!

Conectividades e performance

Realizei alguns testes de conectividade para ver como a jogatina acontecia em diversos cenários, e acabei tendo algumas surpresas. O fato da Microsoft exigir uma conexão Wi-FI 5Ghz não necessariamente elimina a possibilidade de você jogar em uma rede com conexão 2.4Ghz. Pra falar a verdade, funciona até muito bem. Existe um leve atraso e alguns travamentos, mas nada que torne a jogatina impossível. Mas é preciso lembrar que este não é o cenário ideal para usar o serviço. Já na conexão 5Ghz a coisa fica bem melhor. Os comandos respondem quase que instantaneamente. Entretanto, o problema da conexão 5Ghz é seu alcance menor. Então para evitar travamentos e perda na qualidade da imagem, o ideal é não ficar muito distante do roteador.

 

Agora o que cenário com desempenho mais sofrível foi a conexão de dados móveis. Não chegava a apresentar travamentos, mas a queda da qualidade de imagem era constante. Em diversos momentos a imagem ficava “granulada”, como de um vídeo do youtube que cai de qualidade quando sua conexão está ruim. Pelo menos, os comandos continuavam bem responsivos. Nesse cenário é preciso entender que os dados móveis estão mais suscetíveis a fatores externos, como a região onde você se encontra, tempo e a operadora de telefonia, que é a CLARO no meu caso.

O que fica evidente é que tudo depende da qualidade da internet na qual seu dispositivo móvel está conectado. Em condições ideais, o serviço funciona perfeitamente. Caso contrário, sua experiência pode não ser das melhores.

Agora deixando as questões envolvendo conectividade para trás, a experiência de jogar de um celular por streaming é no mínimo satisfatória. Seja com o controle ou na própria tela do dispositivo, a sensação é de estar jogando mesmo um Xbox via celular. O xCloud usa lâminas de Xbox One S em sua infraestrutura,  apresentando assim uma performance similar, ou até melhor que jogando diretamente do console. Alguns amigos e colegas relataram que jogos, como Destiny 2, apresentavam um tempo de carregamento menor no xCloud do que jogando no Xbox One S, mas confesso que não parei para ficar contando o tempo de loadings dos jogos.

Agora, no meu caso, jogar na nuvem não chegou a ser impressionante, mas isso se dá ao fato de eu estar acostumado com o tempo de carregamento e performance dos jogos no Xbox Series X. Mas, ao que tudo indica, em 2021 a Microsoft promete trocar as lâminas de One S pelo do Series X, trazendo assim uma experiência da atual geração para o serviço.

Um futuro promissor

Se me perguntassem no início da geração passada sobre a possibilidade de jogar jogos via streaming, eu certamente diria que seria algo impossível. Mas após testar o beta do xCloud, posso dizer que este será o futuro dos jogos. Atualmente, o serviço da Microsoft ainda não possui cacife para ser lançado no mercado como um serviço independente, visto que não possui uma lista tão extensa de jogos (confira a lista de jogos disponíveis no serviço), mas a Microsoft começa a preparar bem seu terreno. Curiosamente, alguns jogos que estão no xCloud não estão no serviço do Xbox Game Pass. Seria uma indicação de um futuro jogo no catálogo? Só o tempo dirá.

Agora vendo o xCloud como um extra da assinatura Xbox Game Pass Ultimate, aí a coisa já muda de figura. Caso você possua um jogo que está no xCloud, poderá continuar exatamente de onde parou graças ao save na nuvem da Microsoft. Essa talvez seja a grande sacada no momento. Naquele intervalo do almoço, em um passeio fora de casa, basta ter uma conectividade boa com a internet e continuar sua jogatina exatamente de onde parou.

Resta saber quais serão os passos da Microsoft ao explorar os jogos na nuvem. Será que teremos uma Netflix dos jogos? O serviço ficará restrito aos dispositivos móveis? Existem indícios de uma parceria da Microsoft com a Samsung para trazer um app nativo do xCloud em Smart TVs. Confesso que o futuro parece bem promissor.

Compartilhar.

About Author

Aficionado pela cultura geek. Se o cinema é a sétima arte, os games são a oitava. Entrou no mundo dos consoles no NES e desde então vem acompanhando a geração dos games até o Xbox One. Caçador de indies, nas horas vagas tenta ser biólogo.

Powered by keepvid themefull earn money