fbpx
Xbox Game Pass Ultimate: Inscreva-se por R$1

O Xbox Game Pass é um dos serviços mais interessantes dos últimos tempos, ele possibilita que mais jogadores conheçam vários jogos, sem a necessidade de adquiri-los. A biblioteca é um grande aliado dos pequenos estúdios, que agora podem mostrar seu trabalho para um grande número de jogadores, facilitando na divulgação de grandes e pequenas marcas.

Project Winter é um desses jogos, que facilmente poderia ser ignorado, mas que possui um grande potencial. Eu pude conferir cada detalhe ao baixá-lo pelo próprio Xbox Game Pass. O jogo é um survival para até 8 jogadores, que estão presos em um local remoto, com uma tempestade bem gélida. Dentre esses 8 jogadores, 2 são assassinos, e eles devem atrapalhar os planos dos outros jogadores, algo que lembra bastante o famoso Among Us.

Será que Project Winter consegue ser mais do que uma simples cópia de Among Us? Descubra em nossa análise a seguir.

SOBREVIVA A TERRÍVEL TUNDRA

Um dos gêneros mais populares de hoje em dia, são os famosos survivals, aquele tipo de jogo no qual os jogadores devem lutar contra um ambiente hostil, com a necessidade de se alimentar, hidratar, comer e etc… A grande diferença de Project Winter para os demais jogos desse gênero, e de sua grande inspiração Among Us, é o seu mapa, que é bem vasto e cheio de perigos.

Além disso, existem vários elementos espalhados pelo mapa, desde bunkers, lagos e até mesmo laboratórios secretos. Cada localidade ou objeto possui um contexto na partida, e isso é algo extremamente positivo. Esses objetos podem se tornar recursos. Pegue, por exemplo, uma árvore, que ao ser cortada pode virar madeira, e que depois ao ser somada com uma pedra extraída, pode se tornar um machado ou uma picareta. No cenário também existem animais que podem servir de caça para se alimentar e também podem ser um perigo bem real. Além, é claro, da vegetação que também serve de comida.

Qualquer jogador pode ser um assassino em potencial.

A partida começa com todos os jogadores na cabana, que é o ponto central do mapa, ela é uma zona neutra, onde os jogadores podem criar itens e comida, além, é claro, de bolar uma estratégia para identificar os assassinos, que estão entre os oito jogadores. A cabana também tem a opção de expulsar um suspeito, algo que será passível de votação.

Os sobreviventes possuem tarefas diferentes dos assassinos, eles devem consertar alguns aparelhos, como a estação de rádio e o heliporto, que farão parte da fuga do mapa. Para consertar os aparelhos, os jogadores devem coletar peças ou construir na própria cabana para atingir o número necessário de peças. Mas cuidado, pois algumas armadilhas esperam os jogadores mais ousados, então fique de olho aberto.

Já os assassinos devem atrapalhar os sobreviventes, e/ou eliminar cada jogador, sem que os outros descubram. O assassino pode abrir baús exclusivos pelo mapa, que contém armas e armadilhas. Falando em armadilhas, temos desde minas, armadilhas de ursos e até mesmo itens de envenenamento. Outra habilidade do assassino é poder andar dentro de escotilhas, que servem de pontos de viagem rápida.

Outro aspecto importante do jogo é a sua comunicação, que pode ser feita através de rádio, que pode ser encontrado em baús dentro de bunkers. Ou por aproximação, que costuma ser arriscado, já que o assassino pode estar bem próximo. Lembrando que esses tipos de comunicação são ativadas com botões diferentes.

SEJA UM PERSONAGEM

Em Project Winter o mais importante é interpretar um personagem, essa é uma das principais regras que deve se ter em mente. Caso seja um sobrevivente, você deve se comportar como um, tentando não ficar sozinho ou em áreas que possa criar suspeitas sobre sua pessoa. Imagine estar simplesmente pegando itens de outro jogador morto, você pode ser confundido com um assassino sendo inocente. Você deve trabalhar em equipe para cumprir os objetivos ou ser mais esperto que seus companheiros.

A customização é bem ampla.

Já o assassino deve ser mais astuto, e isso é muito prazeroso, enganar os outros jogadores é algo simplesmente incrível, e a sensação de estar sendo vigiado é muito empolgante. Não levantar qualquer suspeita é o mais correto de se fazer para se dar bem.

Além desses tipos de jogadores, temos as profissões, que são parte importante do jogo. Essas profissões são delegadas no começo de cada partida, e dão vantagens para jogador. Pegue por exemplo o hacker, que pode usar os terminais com menos jogadores ao seu lado. Ou mesmo engenheiro, que pode construir itens com uma quantidade menor de recursos. Essas profissões estão disponíveis no modo normal e blackout.

JOGO X SERVIÇO

Diferentemente de Among Us, em Project Winter temos uma vasta opção de customização de personagem. Desde roupas, acessórios e skins que podem ser aplicadas nas armas. Esses itens podem ser obtidos através de uma loja que aceita moeda in game e microtransações. Essa loja possui itens temporários, que mudam todos os dias.

Um ponto extremamente positivo do jogo são os seus servidores. Próximo ao seu lançamento eles estavam com alguns problemas, mas que foram resolvidos rapidamente e não houveram problemas desde então. Rapidamente você pode encontrar diversas partidas, inclusive em servidores brasileiros. Os servidores são hospedados pelos próprios jogadores, que tem a opção de deixar privado ou aberto para qualquer um entrar. Durante meus testes não tive problemas com conexão ou quedas, deixando a partida com uma boa estabilidade.

Em Project Winter atualmente existem três modos de jogo disponíveis:

  • Básico – um mapa menor, poucas regras e sem funções adicionais, como hackeamento, por exemplo. Esse modo é recomendado para quem é novato.
  • Normal – mapa maior, com mais regras e são incluídas as funções adicionais.
  • Blackout – é um modo exclusivo, com um mapa personalizado e grandes chances de encontrar itens raros, esse modo está disponível uma única vez por dia. Caso o jogador queira jogar mais vezes esse modo, ele precisa comprar a edição mais completa.

Mesmo com partidas divertidas, senti que o jogo precisa de mais modos e mapas, caso queira sobreviver por mais tempo.

SOM E GRÁFICOS

Os gráficos de Project Winter são bem interessantes, com um design cartunesco que traz uma certa leveza. A performance não deixa a desejar, sem quedas de frame ou bugs aparentes. A Other Ocean Group foi bem competente em toda a direção de arte do jogo, que combina com qualquer elemento do cenário, desde os animais até as localidades.

O som cumpre seu papel, com efeitos básicos e que remetem a simplicidade da obra. A localização é bem feita, com legendas em português e menus todos traduzidos, que auxiliam o jogador no entendimento do jogo.

OPINIÃO

Project Winter é uma grata surpresa, pois consegue sair da sombra de Among Us, para algo próprio. Nos primeiros minutos de jogo, já entendemos todos o escopo e embarcamos na sua ideia, que é levar o survival para algo paranoico em meio a um ambiente hostil.

Falando em survival, as mecânicas do jogo prendem o jogador, não forçando a algo chato e sem sentido. Tudo que está ali, está por um motivo, e faz parte da experiência.

As situações criadas nas partidas fazem valer a pena cada minuto gasto, pois cada grupo no qual jogamos possui uma realidade diferente. Você nunca saberá o que esperar de seu adversário.

Os servidores reagem de forma bem positiva, com um grande número de jogadores, fazendo com que a espera não demore.

Vamos torcer para que os próximos meses tragam mais conteúdos e eventos, pois assim o jogo continuará vivo por mais tempo.

Entenda nossas notas



*Certifique que este é o preço praticado antes de efetuar a compra. Os valores podem variar.

Compartilhar.

About Author

Desenvolvedor Web e Analista de TI, gamer assíduo desde a época do Atari, fã de Metal Gear(menos o Phantom Pain) e Gears of War. Ter a oportunidade de trabalhar um pouco com games é um sonho realizado. Falta só ir para E3!!!

Powered by keepvid themefull earn money