fbpx
Xbox Game Pass Ultimate: Inscreva-se por R$5

Depois de muita espera, finalmente chegou a hora de colocar as mãos em Battlefield 2042, que está passando por sua primeira fase Beta de testes. Aproveitei bastante o jogo em suas versões para Xbox One e Xbox Series X|S e vou trazer as minhas impressões, bem como o meu sentimento para o lançamento.

Quanto ao conteúdo do Beta, estava disponível o mapa Orbital com o clássico modo Conquista. Também foi possível testar quatro dos especialistas que estarão disponíveis na versão final, além dos sistemas de progressão e Ribbons. Tudo recheado com diversas armas, equipamentos e veículos para trazer a deliciosa sensação de Guerra Total, que já é característica dos jogos da série. No entanto, algumas coisas não funcionaram tão bem. Será que há motivo de preocupação para o lançamento em novembro?

Infelizmente, não pude capturar telas ou vídeos, pois a função de gravação, nas plataformas Xbox, estava desabilitada.

O que eu mais gostei

O mapa Orbital é realmente gigante no Xbox Series X|S, justamente para comportar os 128 jogadores que são suportados na nova geração. Vou admitir que o tamanho dos mapas era algo que me assustava, pois tinha receio de que o combate pudesse ficar vazio nos trechos entre bandeiras, mas estava errada. Sempre existe algo acontecendo ao redor, seja correndo de um ponto ao outro ou se locomovendo com veículos. A decisão de colocar setores dentro das bandeiras também ajuda no fluxo de gameplay, deixando a batalha sempre dinâmica.

Os eventos únicos de mapa também são um espetáculo, que em Orbital fica por conta do Foguete. Parte importante da estrutura geral do mapa, o lançamento do foguete também culmina em um grande espetáculo durante a batalha, seja se for lançado com sucesso ou totalmente destruído, mudando a paisagem do local. Em Orbital também ocorreu um dos violentos eventos climáticos de Battlefield 2042, que é o Tornado. A força violenta da natureza varre o mapa, carregando soldados e veículos. Em vez de ver os jogadores correndo para longe do Tornado, o que mais se via no Beta eram soldados correndo alucinadamente na direção do perigo para viver a experiência. Não vou negar que eu fui uma dessas pessoas, indo viver um dos tais “momentos únicos de Battlefield”.

O clima dinâmico, esses eventos especiais, a boa divisão de setores, são ingredientes que deixam o gameplay sempre agitado e com algo acontecendo. Essa fluidez também é impulsionada pela movimentação rápida e um sistema de tiro eficiente e com bastante possibilidades.

O mapa possui cenários diversos e muito bem desenvolvidos, com estruturas diversificadas e bem detalhadas. Folhagens ricas, cores diversas, e uma boa iluminação oferecem vida para os ambientes.

A novidade de poder configurar as armas em tempo real, alterando miras e pentes, por exemplo, sem precisar morrer para fazer as mudanças é muito bem-vinda, e ajuda a manter o ritmo da ação. Também gostei que mesmo que cada um dos especialistas tenham suas habilidades únicas, podemos customizá-los amplamente com algumas características de outros. Por exemplo, a médica suporte Maria Falck, possui a sua pistola de cura a distância e a habilidade de reviver seus aliados com a vida cheia, mas ela também pode equipar uma caixa de munições ou ainda uma Sniper. Isso expande bastante as possibilidades de abordar o combate.

Quanto ao tiroteio em si, ele está bastante frenético, com uma grande mistura de infantaria, veículos, ou ainda os novos equipamentos modernos, como uma espécie de cão robô. Sempre existe algo acontecendo ao seu redor, seja uma granada explodindo na sua direção, alguém atravessando na sua frente com um carro, um foguete de um tanque vindo em sua direção, um helicóptero sobrevoando para te destruir, um tornado se aproximando com velocidade mortal ou quem sabe um foguete sendo lançado para o espaço. Esse frenesi que dá vida a Battlefield está muito presente no 2042, o que indica uma fórmula perfeita para manter os jogadores viciados na experiência criada, mas para isso acontecer melhorias precisam ser implementadas.

O que precisa melhorar

É óbvio que precisamos ter em mente que estamos falando de um Beta, então ainda não se trata da versão final, ainda assim, como já é de praxe, os testes Beta costumam trazer uma versão bem próxima do que iremos encontrar no lançamento. Curiosamente, a DICE tomou a controversa decisão de usar uma build que eles dizem ser de alguns meses atrás, mas que teria sido polida e melhorada para dar uma ideia do jogo final. Eu, particularmente, acho isso muito estranho, pois nos deixa com aquela sensação de que ‘Será que é verdade?’ ou ‘Será que vai melhorar mesmo?’.

Dito isto, a versão disponibilizada apresentou alguns problemas bem chatos. Apesar do bom desempenho geral no Xbox Series X, o jogo apresentou muitas falhas gráficas, com sombras gigantes piscando na tela, cenários completos sumindo e aparecendo do nada, personagens atravessando estruturas e coisas do tipo. A direção dos jatos também estava pouco responsiva e carece de melhorias. Os soldados precisam de um maior polimento, assim como uma melhor diferenciação entre aliados e inimigos.

O sistema de reviver é horroroso, e constantemente vemos os jogadores trocando de arma com o aliado caído em vez de reanimá-lo. Falando em reviver, a mecânica precisava ser mais rápida para a médica, pois a falta disso torna a classe sem sentido, já que todos revivem da mesma forma. Do que adianta reviver com vida cheia, se a velocidade de reanimação é igual a de todos os outros especialistas, que também podem usar caixa de primeiros socorros. Algo precisa ser reavaliado para não tirar totalmente o sentido do que faz cada classe única. Essa descaracterização é preocupante.

O indicador de granada também não estava funcionando, não sendo possível identificar se um explosivo foi jogado perto de você. Alguns problemas bastante básicos e que não deveriam estar presentes em um Beta.

A versão para Xbox One está sofrendo bastante. Mesmo com mapas menores e suporte para apenas 64 jogadores, o jogo roda com uma apresentação inferior a Battlefield V e até mesmo o 1. O jogo está longe de ser horrível, mas o desempenho não estava bom, com um framerate instável, e ainda cenários bem mais pobres. Existe o evento do foguete, mas em nenhuma partida eu cheguei a encontrar um tornado, o que até me deixou em dúvida se ele estará presente na geração passada.

Mesmo que seja natural não alcançar os mesmos níveis da nova geração, é, no mínimo, estranho que ele seja inferior aos últimos dois jogos lançados. Talvez assim como aconteceu com Battlefield 4, a DICE esteja mostrando, mais uma vez, que possui dificuldades em trabalhar com títulos crossgen. Ainda assim, se tratando de um projeto que envolve diversos estúdios, poderiam ter deixado as versões da geração passada sob responsabilidade de uma equipe específica, que fosse se dedicar integralmente a elas. Battlefield 2042 precisa urgente de muitas melhorias para o Xbox One, do contrário será difícil chamar a atenção dos jogadores da plataforma, que terão acesso a jogos como Halo Infinite, que é free-to-play, e teve um Tech Preview de muito sucesso, mesmo com as limitações da geração passada.

Uma novidade dessa versão são os Bots controlados por IA, que estão presentes na versão de nova geração para preencher as partidas, enquanto mais jogadores não entram. Nos primeiros dias estava irritante entrar em partidas repletas de IA, o que foi ajustado rapidamente. O que precisa ser melhorado urgentemente é o comportamento desses Bots, que muitas vezes parecem pouco responsivos e sem oferecer nenhum tipo de desafio para os jogadores, que era o prometido até então. O mais estranho disso tudo é que a DICE também é responsável por Star Wars Battlefront 2, que possui Bots extremamente agressivos e que oferecem um bom nível de desafio. Espero que na versão final esses eles estejam em um estado melhor.

Opinião

O Beta de Battlefield 2042 me deixou com um sentimento misto. Enquanto eu curti bastante o gameplay dinâmico e a sensação deliciosa de Guerra Total, também fiquei preocupada com os problemas gráficos e algumas mecânicas que ainda precisam ser melhoradas. Mesmo que os ambientes e o desempenho sejam bons de uma forma geral, uma build apresentada ao público não deveria ser oferecida necessitando de tanto polimento.

Na geração passada, o estado do jogo é bastante preocupante, deixando a sensação de que a DICE está tendo problemas de novo em desenvolver um título crossgen. Será que teremos outro Battlefield 4? Para quem não lembra, ele foi lançado para Xbox 360 e Xbox One e o resultado foi bastante ruim. Apenas após muito tempo é que o jogo ficou bom, sendo ainda hoje um dos mais jogados da série. Será que teremos a mesma situação aqui? Só o tempo dirá.

O potencial de Battlefield 2042 é evidente, a frenética Guerra Total está ali, mas diversos ajustes precisam ser realizados com urgência.

O Beta está disponível até hoje, dia 09.

Battlefield 2042 será lançado no dia 19 de novembro para Xbox One e Xbox Series X|S. Os jogadores que adquirirem a Gold ou Ultimate Edition terão acesso liberado uma semana antes. Os assinantes EA Play, que também é acessível através do Xbox Game Pass Ultimate, ganharão um período de teste de 10 horas a partir de 12 de novembro de 2021.

Quem adquirir a edição standard para Xbox Series X|S contará com a Versão Dupla, que também dará acesso ao jogo para Xbox One.





*Certifique que este é o preço praticado antes de efetuar a compra. Os valores podem variar.

Compartilhar.

About Author

Administradora de Empresas, mas apaixonada pelo mundo dos games e pelo Xbox!Fã da incrível e complexa franquia Halo e de seu icônico líder, o Master Chief. Também apaixonada por Dragon Age e seu universo magnífico. Ahhh e quem disse que Dark Souls não é divertido? :DSempre ligada nas notícias e novidades do lado verde da força!

Powered by keepvid themefull earn money