fbpx
Confira as ofertas de Black Friday Xbox

A mágica é um estado da arte que encanta muitas pessoas, desde crianças com truques mais simples ou até mesmo adultos com algo mais arriscado. No cinema e televisão tivemos várias representações desse tipo de arte, mas em jogos isso sempre foi voltado para a fantasia, algo que poderá mudar em breve.

Dandy Ace é um roguelike desafiador, que se inspira em jogos como Hades e Dead Cells, e cria algo diferente. O jogo foi construído pela Mad Mimic, uma desenvolvedora brasileira, situada na cidade de São Paulo, que agora pode conquistar um espaço no mercado que ama tanto esse gênero. Ainda mais que o jogo foi lançado no Xbox Game Pass, aumentando ainda mais a sua audiência.

Será que o jogo da traz algum diferencial ou é só mais uma cópia? Descubra em nossa análise a seguir.

A VIDA É UM PALCO

O história começa com Dandy Ace tomando o lugar de seu arqui-inimigo Lele, o Ilusionista, que se vinga do nosso protagonista, e o aprisiona junto de suas assistentes em um espelho amaldiçoado. Assim que Dandy Ace chega naquele mundo estranho, somos ajudados por uma figura nada suspeita, pois Lele está disfarçado e te dá dicas de como não escapar daquele lugar. A medida que avançamos através de outras salas somos apresentados a novos perigos e outros personagens bem importantes, que nos ajudarão na fuga do local.

Ace é um mágico cheio de truques.

Além de Lele, Ace terá outros inimigos para atrapalhar sua fuga. Cabe ao jogador, evoluir o personagem e aumentar a coleção de cartas, melhorando nosso arsenal de magias.

O TRUNFO DE DANDY ACE

Um dos pontos que chamam mais atenção em Dandy Ace  é a sua jogabilidade, que na sua simplicidade pode conquistar o jogador em poucos minutos. Tudo é bem intuitivo, fazendo com que consigamos entender os comandos em poucos minutos de jogatina.

Dandy Ace é um jogo bem desafiador, no qual temos que morrer várias vezes para poder evoluir. A cada jogada temos a possibilidade de sacar cartas cada vez mais poderosas, além de aprender as fraquezas dos inimigos e usá-las a nosso favor. As mecânicas são bem simples, com quatro opções de cartas ativadas pelos botões coloridos de nosso controle. A medida que jogamos mais vezes, temos a possibilidade de montar diferentes estratégias para combater nossos inimigos. São dezenas de poderes que vão desde uma rajada de cartas até mesmo cartas explosivas.

O jogador pode escolher o tipo de carta para diferentes botões, algo que adiciona uma dinâmica bem interessante, no qual podemos criar algo único a cada jogada. Geralmente os jogos não deixam usar o mesmo tipo de poder em dois botões diferentes, mas aqui fica a seu critério.

Escolha suas melhores cartas.

A grande sacada é dar liberdade para o jogador montar seu próprio estilo, mesmo que as cartas surjam de forma aleatória no mapa. Lembro que mudei de estratégia diversas vezes, principalmente quando já me preparava para enfrentar os chefes do jogo, que são bem desafiadores.

As cartas também podem ser combinadas, aumentando seu poder, com a inclusão de novos atributos secundários. Pegue por exemplo um carta explosiva, que pode ser combinada com uma nuvem tóxica, causando dano adicional aos inimigos. Cada carta possui um nível de poder diferente, como se fosse uma classificação. A medida que encontramos a mesma carta com níveis diferente cabe a você trocá-la para aumentar sua força.

Dandy usará de truques variados para lutar contra seus inimigos.

Durante nossa fuga, podemos acumular moedas e pedaços de espelhos, que serão usados nos checkpoints do jogo. As moedas também podem ser usadas para comprar cartas mais poderosas dentro da própria sala, algo que ajuda na hora de ajustar o deck.

Em alguns lugares do mapa podem ser encontrados baús, que contém cartas aleatórias. Caberá ao jogador fazer a troca caso seja mais poderosa. Além disso, novos esquemas para cartas são encontradas nas fases, recompensando a repetição.

Use seu melhor poder.

Outro aspecto importante são as chaves. Ao encontrá-las poderemos abrir algumas portas que trazem salas com itens poderosos ou mesmo atalhos entre as fases. A chave é mantida para as próximas fugas, então é algo que ajuda bastante em nossa aventura.

Em cada sala existem inúmeros pontos de teletransporte, com os quais podemos voltar a certos pontos do mapa, sem ter que voltar todo o trajeto. Algo que oferece uma grande ajuda quando, por exemplo, encontramos uma chave e precisamos voltar para abrir uma porta.

UMA GRANDE AJUDA

Assim que Ace termina uma sala, ele encontra um novo espelho que o leva para uma seção de checkpoint, no qual podemos recarregar nossa vida, além de comprar novas cartas e habilidades passivas. Essas habilidades passivas podem ser ativadas somente em uma fuga, então caso morra, você terá que comprá-las novamente com pedaços de espelho acumulados durante as fases.

Compre novas habilidades entre os checkpoints.

Além das habilidades, também podemos comprar novas cartas através de moedas que juntamos durante nossas fugas. Comprou um novo kit de cartas ou um boost de moedas iniciais, ficará permanentemente para o jogador, diferentemente das habilidades passivas que não são acumulativas e somente são ativadas nos checkpoints.

O checkpoint é o lugar onde as assistentes de Ace estão localizadas para vender essas melhorias para o protagonista.  Se trata de um lugar que dará um certo alívio entre as fases e um preparo para a próxima sala.

SOM E GRÁFICOS

A direção de arte de Dandy Ace é muito competente, com ótimos efeitos de iluminação e cores vibrantes, que deixam os mapas com um ar alegre e estranho ao mesmo tempo. Além disso, cada personagem é feito de forma diferente, trazendo uma variedade de personagens principais e inimigos.

O som é incrível, com um grande destaque para a dublagem dos personagens que é feita por influenciadores digitais conhecidos como BRKsEDU e Gabi Catuzzo, dentre outros. Só uma coisa me incomodou na dublagem, foi a repetição de diálogos do personagem Lele, que tem algumas piadas legais no começo, mas depois se torna algo muito repetitivo, ainda mais que repetição é algo que faz parte do jogo.

OPINIÃO

Dandy Ace é uma ótima opção pra quem gostou de jogos como Hades e Dead Cells, e busca um roguelike divertido e bem desafiador.  A mecânica de cartas é bem simples, mas com uma grande quantidade de possibilidades.  A medida que avançamos em novas fases descobrimos novos itens que nos ajudarão a progredir mais facilmente.

A Mad Mimic foi muito competente nos quesitos técnicos, com uma ótima direção de arte e som. A dublagem feita por famosos influenciadores é bem legal, mas em certos momentos se torna um pouco repetitiva.

Dandy Ace é mais um jogo surpreendente a chegar no Xbox Game Pass, no qual o jogador terá grandes aventuras e muitos desafios.


Entenda as nossas notas.


*Certifique que este é o preço praticado antes de efetuar a compra. Os valores podem variar.

Compartilhar.

About Author

Desenvolvedor Web e Analista de TI, gamer assíduo desde a época do Atari, fã de Metal Gear(menos o Phantom Pain) e Gears of War. Ter a oportunidade de trabalhar um pouco com games é um sonho realizado. Falta só ir para E3!!!

Confira as ofertas de Black Friday Xbox

Powered by keepvid themefull earn money