fbpx
Confira as ofertas de Black Friday Xbox

A Marvel é uma das marcas mais importantes dos últimos tempos, deixando de ser somente uma editora de quadrinhos, para criar algo único, que é ajudar a popularizar os heróis para o grande público. Já se passaram mais de 10 anos, desde a consolidação da Marvel Studios ,trazendo grandes produções a vida, como  Vingadores, Capitão América, Homem de Ferro e também Os Guardiões da Galáxia, no qual esse último foi um grande feito, pois era um grupo de heróis até então desconhecido de muitos.

Kevin Feige (Presidente da Marvel Studios) foi um dos grandes responsáveis pelo feito, assim como o diretor de cinema James Gunn, que com muita dedicação transformaram os Guardiões em um dos pilares do grande universo cinematográfico da Marvel.

Os Guardiões da Galáxia é um dos meus grupos de heróis preferidos, simplesmente por ter uma grande lore, que se passa no espaço, com diversas localidades e personagens únicos. Agora, temos a oportunidade de conhecer mais da sua história, com algo bem especial em Marvel’s Guardians of the Galaxy.

Uma das grandes questões que vieram a minha cabeça, após o anúncio do jogo, era se a obra conseguiria manter a qualidade dos filmes. Ainda mais pelo último fracasso com Marvel’s Avengers, que não atingiu as expectativas do grande público.

Será que Marvel’s Guardians of the Galaxy convence ou foi outro fracasso? Descubra em nossa análise a seguir.

O SENHOR DAS ESTRELAS

A história começa pelos olhos de Peter Quill (Senhor das Estrelas), que com apenas 12 anos vê toda a sua vida mudar. Peter mora com sua mãe em uma fazenda, e tem um grande amor materno, uma ligação que se refletirá em muito do que ele se tornará no futuro.

A medida que avançamos na história, participamos de alguns flashbacks para contar a origem do líder dos Guardiões. Alguns pontos do enredo são bem diferentes do filme, mas nada que estrague a lore e sim acrescente um ponto de vista bem interessante para a sua história.

Senhor das Estrelas pronto para o combate ou não…

Peter, assim como nos filmes, é um grande piadista, além de um grande sedutor, causando grandes confusões por onde passa. Além disso, ele é um grande líder e deve lidar com as consequências de suas decisões. Foi bem legal ver camadas diferentes desse personagem, com situações de drama, humor e muita ação, no qual Peter se destaca.

OPÉRA ESPACIAL

Marvel’s Guardians of the Galaxy não é somente um jogo de super-heróis, e sim uma grande ópera espacial, algo bem parecido com Star Wars, StarTrek e muitos outros, que criam uma grande mitologia no espaço. Ainda que muitos não conheçam a fundo toda a mitologia espacial da Marvel, o jogo consegue passar muito conteúdo para o jogador, através de uma boa quantidade de capítulos, passando por vários planetas, lugares e personagens icônicos. Temos mercenários, saqueadores e alienígenas de vários espécies populando nossa história.

Fiquei maravilhado com tudo que aprendi sobre o universo espacial da Marvel. Além disso, é muito bom ver alguns personagens conhecidos, como o grande Adam Warlock e Lady Hellbender em ação.

A galáxia pode ser um lugar muito perigoso.

O que seria de uma grande aventura no espaço sem uma nave? A Milano é o transporte usado por Peter, Drax, Gamora, Groot e Rocket Racoon para viajar para os confins do espaço. Além de ser o lar dos Guardiões entre as fases, trazendo alguns diálogos entre os integrantes, que inclusive revelam bastante sobre o passados deles.

Outros pontos que marcam é ver algumas localidades conhecidas pelos fãs, no qual o jogador terá o prazer de explorar, dando aquela sensação de nostalgia para alguns.

UMA HISTÓRIA DIGNA

Marvel’s Guardians of the Galaxy acompanha as aventuras dos Guardiões da Galáxia, que como sempre tentam arrumar um dinheiro fácil e acabam criando uma grande confusão. Em meio a esse problema, coisas graves surgem envolvendo o futuro da galáxia, cabe a Peter e companhia buscarem uma solução rápida, antes que tudo esteja perdido.

A história é incrível, com situações extremas que unem ação e muito humor, algo digno do grupo dos desajustados. Além disso, a cada capitulo que avançamos, nos deparamos com personalidades da parte espacial da Marvel que são fielmente apresentados.

Uma equipe improvável.

Além de revelar todo um pano de fundo para determinados personagens secundários, em diversas situações somos lembrados de coisas que aconteceram no passado, fazendo uma ligação com o presente.

Os vilões são cheios de personalidade e bastante tempo de tela, algo que ajuda o jogador a pegar antipatia daquele individuo. Esse aspecto é bem importante para dar mais ênfase a certos personagens, que se não tivessem tempo necessário poderiam passar despercebidos.

Conforme avançamos para os capítulos finais, os personagens ganham motivações fortes, deixando de lado os motivos banais que rondavam o grupo.

OS DESAJUSTADOS

Em Marvel’s Guardians of the Galaxy assumimos o controle do Senhor das Estrelas, mas como o próprio nome do jogo diz, a história também é sobre o grupo dos desajustados. A cada capitulo que avançamos, somos apresentados a diversas situações do passado do grupo, no qual descobrimos mais da origem, dos medos e sonhos de cada um.

Uma equipe que se torna família.

A química do grupo é ótima, com diversas situações de drama, comédia, ação e muitos diálogos interessantes para cada personagem. Conforme passamos por situações com cada integrante, nos apegamos mais e mais a cada um deles.

JOGABILIDADE BOA, MAS COM RESSALVAS

O gameplay de Marvel’s Guardians of the Galaxy é focado no Senhor das Estrelas, que possui duas pistolas de energia e atira em seus inimigos incansavelmente. Peter Quill também pode se deslocar rapidamente com suas botas a jato e fazer diversas manobras para fugir dos inimigos.

Conforme avançamos na história, Peter ganha tipos diferentes de tiros para a sua arma, que podem ajudar na batalha e no deslocamento das fases. Imagine uma cachoeira, no qual podemos congelar e passar com segurança.

O gameplay é bom, mas possui ressalvas.

Por mais que temos o controle de Peter, sozinho ele não seria ninguém sem seus amigos. Drax, Gamora, Groot e Rocket Racoon podem ser usados através de botões de ação, trazendo golpes que ajudam Peter em meio a ação. Assim que a história avança, o jogo fica mais difícil, exigindo que essa química entre o grupo seja usada com sabedoria.

Os guardiões possuem especiais próprios que são caracterizados pela cor rocha, que ao ativar desferimos golpes poderosos. O grupo também possui um especial que envolve todos, ao ser ativado podemos escolher uma frase motivacional, que resulta em resistência para todos e ao som de uma trilha sonora animal podemos eliminar nossos inimigos com mais facilidade.

Peter e seu grupo podem ser melhorados através de upgrades de habilidades, trazendo golpes ainda mais poderosos. Outro aspecto que pode ser melhorado, são algumas habilidades passivas de Peter, que podem ser compradas com sucatas encontradas pelas fases.

Melhore suas habilidades e parta para a luta.

Por mais que o gameplay seja bacana, em certos momentos senti que faltou um ajuste fino na hora do tiroteio, no qual temos várias coisas acontecendo e o jogo parece não ter muita fluidez, algo que pode melhorar em atualizações futuras. Outro problema que incomoda são os bugs, que hora ou outra aparecem. Imagine ficar preso em um objeto ou mesmo cutscenes que não são mostradas, cortando partes importantes da história.

Além do tiroteio tradicional, temos algumas fases que controlamos a nave dos guardiões, no qual participamos de lutas incríveis. Outro ponto importante são alguns quebra-cabeças que temos que resolver, algo bem simples como direcionar a energia para abrir portas.

Além de ação, temos muita aventura também.

As lutas contra chefes são muito boas, principalmente pelo fato de que na maioria delas precisamos usar nossa cabeça, com objetivos para enfraquecer a ameaça.

Marvel’s Guardians of the Galaxy também é um jogo de aventura, um gênero no qual a Eidos Montreal já esta bem acostumada, logo são partes bem interessantes e que trazem uma exploração bem gostosa, valorizando as habilidades da equipe. Em certos locais podemos pedir ajuda ao nosso time para subir em locais mais altos ou mesmo quebrar paredes para atravessar alguns locais.

Marvel’s Guardians of the Galaxy é um jogo single player focado na experiência de história linear, logo não temos a opção de jogar com amigos.

UMA TRILHA SONORA INCRÍVEL

Os Guardiões da Galáxia no cinema mudaram o patamar de trilha sonora para os filmes de heróis, e aqui não seria diferente. Temos uma quantidade insana de músicas que fazem parte da história da música internacional.

Além de poder escolher algumas músicas quando estamos em nossa nave, durante as fases somos agraciados com músicas icônicas que ilustram toda a ação.

As faixas do jogo são bem diversas, incluindo músicas de artistas como Iron Maiden, KISS, New Kids On The Block, Rick Astley, Hot Chocolate e um álbum próprio da banda Starlord.

SOM E GRÁFICOS

Os gráficos de Marvel’s Guardians of the Galaxy são muito bonitos, com ótimos efeitos de iluminação, sombra e uma grande sensação de profundidade nos cenários. Cada canto da galáxia é perfeitamente criado, de acordo com a sua representação no universo da Marvel.

Existe uma grande variedade de planetas e locais, passando a sensação de que realmente estamos viajando pela galáxia. Outra variedade que enche os olhos são os personagens, que vão desde alienígenas simples até mesmo mercenários de aluguel.

O espaço pode ser um lugar muito bonito.

Outro aspecto que chama atenção no jogo é o cuidado com as cutscenes, no qual são muito bem construídas e dirigidas, trazendo um aspecto cinematográfico, mas sem exagerar na quantidade ou tamanho da cena, tudo no seu tempo certo.

Falando nas cenas, Marvel’s Guardians of the Galaxy possui uma dublagem excepcional, que traz todas as vozes em Português dos filmes, algo que aquece o coração. Todos os diálogos são bem escritos, com piadas a todos momentos, que funcionam muito bem em nosso idioma.

Existe a opção do sempre solicitado modo fotografia, com o qual podemos tirar fotos com filtros e vislumbrar alguns belos cenários do jogo,

OPINIÃO

Marvel’s Guardians of the Galaxy é um dos melhores jogos de heróis já feitos, com uma história que honra todo o legado da parte espacial da Marvel. O enredo é cheio de reviravoltas, com pontas amarradas de roteiro, não deixando nada sem ser ligado. Existem inúmeros personagens que ganharam o devido destaque, no qual o jogador terá mais conhecimento sobre suas origens.

Os gráficos são belíssimos, com cenários bem desenhados e cheios de detalhes. As cutscenes trazem um peso cinematográfico, com cenas bem escritas e cheias de ação e humor. O som também é parte importante da experiência, com uma das melhores trilhas sonoras que já escutei para um jogo. A dublagem também se destaca, com um ótimo trabalho de direção para cenas e diálogos.

O gameplay funciona muito bem, na maioria das vezes, com uma dinâmica boa entre o controle do Senhor das Estrelas e as habilidades de apoio dos outros guardiões, que são usadas em combate e na parte da locomoção. Um problema que ofusca a qualidade final do jogo são alguns bugs e travamentos na hora do combate. Além disso, perdi diversas cenas importantes da história, simplesmente por que o jogo travou a cena em outro plano de visão.

No geral temos um grande jogo, que ninguém esperava muito e me surpreendeu bastante. Faltou pouco para ser épico, acredito que mais alguns meses de polimento e o trabalho sairia algo melhor. Mas fico feliz que esses heróis foram bem representados e já sonho com um próximo jogo desses heróis tão importantes.

Entenda nossas notas


*Certifique que este é o preço praticado antes de efetuar a compra. Os valores podem variar.

Compartilhar.

About Author

Desenvolvedor Web e Analista de TI, gamer assíduo desde a época do Atari, fã de Metal Gear(menos o Phantom Pain) e Gears of War. Ter a oportunidade de trabalhar um pouco com games é um sonho realizado. Falta só ir para E3!!!

Confira as ofertas de Black Friday Xbox

Powered by keepvid themefull earn money