fbpx
Xbox Game Pass Ultimate: Inscreva-se por R$5

Os filmes de terror trash fazem parte do passado do cinema mainstream e também do independente, trazendo pérolas que são celebradas até os dias de hoje. Quem não se lembra do eterno Zé do Caixão ou mesmo do grande Bruce Campbell? Este último estrelava um clássico, chamado de The Evil Dead, um filme que ganhou muito notoriedade na época.

41 anos depois, tivemos o lançamento de Evil Dead: The Game, um multiplayer de ação, que coloca quatro jogadores para lutar contra a ameaça maligna de um outro jogador, que comandará as forças do mal. Gostou da premissa? Descubra em nossa análise a seguir como foi nossa experiência.

TERROR RAIZ

Um dos pontos mais impactantes que presenciei em Evil Dead: The Game, é a sua fidelidade ao terror. Por mais que estejamos falando de um tipo de gênero mais Trash, em alguns momentos nos sentimos ameaçados por aqueles elementos muito bem distribuídos. Ainda tem o fan service, de alguns filmes de terror, que caso você seja um conhecedor, irá logo lembrar ou mesmo toda atmosfera criada para o mundo de Ash.

Ash pronto para o combate.

Nos primeiros minutos logo localizamos vozes estranhas e monstros que ficam a nossa espreita. Isso se reflete na jogabilidade, que possui um medidor de medo, que vai fazer parte da sua vida ou morte. Além de ambientes externos muito bem construídos e ambientes menores nos quais mais nos sentimos ameaçados, como casebres e mausoléus, cheios de detalhes sinistros e muitas salas para vasculhar.

SOBREVIVENTES VS DEMÔNIO

Esse é o principal modo de jogo e também o mais divertido, digo pela minha própria experiência que tende sempre a jogos com campanha. Nesse modo quatro jogadores lutam contra um inimigo, seja ele uma IA ou um jogador, que controlará as forças do mal.

Jogando como sobrevivente começamos longe de nosso grupo, que pode ser formado por amigos ou desconhecidos aleatórios e partimos para coletar armas, itens de cura e munição que ficam em sua maior parte em ambientes fechados, assim que nos armamos entre armas de fogo e de contato, já partimos para os primeiros objetivos.

Junte seus amigos, ache os artefatos e acabe com a ameaça maligna.

Essa dinâmica é extremamente divertida, e tende a fazer os jogadores dependerem uns dos outros, pois a medida que o nível aumenta, mais hordas poderosas podem surgir, então você precisará de ajuda para avançar nos objetivos.

Um dos grandes diferenciais de Evil Dead: The Game os seus mapas gigantescos, algo que não acontece com jogos do mesmo gênero. Para se locomover mais rapidamente, podemos pilotar carros espalhados pelo cenário, que possuem uma dirigibilidade bacana.

Lembra que falei do medidor de medo? Então, caso o jogador esteja sozinho, esse medidor sobe mais rapidamente, para diminuir a barra de medo, devemos procurar luzes ou acender fogueiras, espalhadas pelo mapa.

O jogador também pode ter a experiência como demônio kandariano, no qual mudamos nossa perspectiva para uma visão em primeira pessoa e podemos voar pela cenário, buscando força vital e ativando armadilhas ou mesmo possuindo outros jogadores, que estão com a barra de medo cheias. Colocar inimigos em pontos estratégicos, e até mesmo controlá-los, faz parte da diversão, sendo bastante divertido.

Escolha a classe de demônio que mais combina com seu estilo de jogar.

Por várias vezes eu atrapalhei a vida dos jogadores, colocando os carros em lugares de difícil acesso ou mesmo colocando armadilhas em lugares estratégicos.

Por mais que o modo Sobreviventes VS Demônio possua uma boa variedade e grandeza de mapas, os objetivos não mudam, então a médio prazo o jogo pode se tornar repetitivo. Mas confio na desenvolvedora Saber, que sempre faz ótimos trabalhos e pode incrementar esse aspecto do jogo.

EVOLUA

Os sobreviventes de Evil Dead: The Game possuem classes e uma árvore de habilidades bem vasta, que pode ser melhorada conforme avançamos nas partidas. Caso o jogador vença e seja bem eficaz, ele consegue pontos para seu personagem e uma quantidade de pontos gerais, que podem ser usados para encher a barra de XP do personagem que você quiser. Cada personagem possui níveis, assim que enchemos a barra de XP ganhamos um nível e uma habilidade para ser liberada na árvore.

Dentre as habilidades, temos passivas e ativas. As passivas são compradas com pontos de habilidades, já as ativas são melhoradas, conforme chegamos em marcos de níveis.

Melhore o personagem da classe que você mais combina.

Escolha as habilidades passivas que melhor se encaixam com seu jeito de jogar, como aumentar a barra de saúde ou mesmo esvaziar a barra de medo mais rapidamente. Temos também aumento de precisão de armas de fogo ou mais dano para armas corpo-a-corpo.

Lembra que falei das habilidades ativas, cada personagem possui um tipo de habilidade para ativar, que vai desde cura para toda a turma ou mesmo velocidade aumentada para a esquiva.

O mal também pode ser evoluído com o aumento de nível, mas claro que suas habilidades são totalmente diferentes, focando em invocações, armadilhas e chefes mais poderosos.

Uma dica importante para os sobreviventes é evoluir várias classes ao mesmo tempo, pois na partida não podemos repetir os personagens, então já acontece aquela correria habitual para escolher os personagens mais populares. Lembrando que é sempre importante ter uma classe de cada no grupo, para uma maior eficiência contra as forças do mal.

JOGABILIDADE REFINADA

O trabalho de gameplay desenvolvido pela Saber em Evil Dead: The Game é de se aplaudir, pois temos um ótimo jogo de ação, que convence tanto no combate com armas de fogo, quanto nas armas de contato, incluindo diferentes finalizações. Imagine usar uma lança e uma shotgun para eliminar seus inimigos? É muita brutalidade para um jogo só.

Os comandos são facilmente assimilados, dando a oportunidade de aprender em poucas partidas, ficando o maior trabalho na interação com outros indivíduos, no caso de jogar como sobrevivente. Já como inimigo, temos uma mudança drástica na jogabilidade, mas que com a ajuda constante em nossa tela, fica bem tranquilo de se aprender.

A dirigibilidade atende o tamanho do mapa.

A precisão das armas é boa, além dos golpes serem bem diferenciados para as armas de contato, trazendo surpresa para cada arma que encontramos.

O loot é bem interessante, dando aquela curiosidade em vasculhar cada cantinho do mapa para encontrar nossos equipamentos. Além disso, existem fósforos para acender fogueiras, refrigerante para recuperar saúde e alguns amuletos que aumentam nosso escudo.

UMA AVENTURA SOLO

Evil Dead: The Game também é um bom jogo para se jogar sozinho, pois podemos conhecer um pouco mais da lore da franquia. A história se desenrola em algumas missões, que em maioria são bem desafiadoras e contam diversos momentos importantes e chaves dessa história trash.

Cada missão passa por determinados momentos da franquia.

Além de se divertir e ficar com medo nessas missões, também podemos desbloquear novas skins para os personagens, que serão usadas no modo multijogador.

A dificuldade para jogar sozinho é muito maior, principalmente por não ter checkpoints, morreu, volta para o começo da missão.

SOM E GRÁFICOS

Evil Dead: The Game possui gráficos bem interessantes, mesmo não fazendo uso de texturas tão realistas. A ambientação também é incrível, trazendo uma tensão que combina com a temática, também sendo bem fiel aos personagens da franquia. A performance também é muito boa, com servidores que dão conta do recado, além de ser bem fácil de encontrar partidas.

O som é surpreendente, com uma trilha sonora que causa arrepios. Os efeitos sonoros também são muito bons.

Todos os menus e textos são legendados em nosso idioma, algo que ajuda no desenrolar das missões, seja solo ou multijogador.

OPINIÃO

Evil Dead: The Game é um dos melhores multiplayers do ano, unindo diversão, desafio e também muitos arrepios. O principal modo de jogo, que é o sobreviventes vs demônio, consegue entreter por muitos dias, com uma dinâmica bem interessante, na qual os jogadores dependem uns dos outros, ficando muito difícil de agir sozinho. Jogar como inimigo também é muito bom, algo que muda tudo que você entende jogando como sobrevivente. O único ponto de alerta fica para os objetivos que são sempre os mesmos, então espero muito que a Saber siga produzindo novos conteúdos.

O modo solo recria vários acontecimentos da franquia no cinema, aquecendo o coração para quem é fã desse mundo trash. Ele também é bem desafiador, principalmente por não ter checkpoints.

Evil Dead: The Game é recomendado para quem é fã de jogos multijogador em equipe e busca algo diferente dos jogos de ação no mercado. Caso você seja fã de filmes de terror trash, também pode dar uma chance, que será diversão na certa.

Comprar Evil Dead: The Game na Microsoft Store

Plataformas: Xbox One e Xbox Series X|S
Publicado por: Boss Team Games, LLC; Saber Interactive Inc
Desenvolvido por: Saber Interactive Inc
Data de lançamento: 13/05/2022
Opções de compra: Microsoft Store

Compartilhar.

About Author

Desenvolvedor Web e Analista de TI, gamer assíduo desde a época do Atari, fã de Metal Gear(menos o Phantom Pain) e Gears of War. Ter a oportunidade de trabalhar um pouco com games é um sonho realizado. Falta só ir para E3!!!

Powered by keepvid themefull earn money